Procedimento Estético

Toxina botulínica: o uso na odontologia e muito mais

toxina botulinica

A toxina botulínica se tornou popular principalmente por sua aplicação estética, uma vez que reduz a aparência de linhas de expressões e rugas. Além dessas diversas aplicações, hoje ela também é utilizada em tratamentos e procedimentos odontológicos, sabia? 

Vamos te contar mais sobre essa substância e como utilizamos ela na odontologia, veja:

O que é toxina botulínica e qual sua função?

A toxina botulínica, também chamada de proteína botulínica, é uma neurotoxina, produzida e secretada pela bactéria Clostridium botulinum, que pode ser encontrada na natureza.

Essa toxina possui uma principal função no organismo, atuar como uma substância que inibe o neurotransmissor acetilcolina para as fibras musculares. Assim, o músculo da região em que foi aplicada não consegue receber a mensagem do cérebro para realizar o movimento de contração.

Ao realizar os tratamentos com a toxina botulínica, o profissional vai fazer aplicações de pequenas doses em regiões pré-determinadas para atingir esse efeito de retardamento muscular com sucesso. Quando mencionamos a durabilidade no tratamento, em média, o resultado esperado é que a duração seja de 3 a 6 meses.

Um dentista pode aplicar toxina botulínica?

Desde 2019, o Conselho Federal de Odontologia, a partir de uma resolução interna (CFO-198/2019), autorizou o uso desse produto e de preenchedores com finalidade estética. Além disso, a Lei 5.081/66, que regulamenta o exercício da Odontologia no Brasil, também concede permissão para realização de procedimentos como a aplicação da toxina botulínica. 

Desse modo, o dentista tem autorização legal e pode, ainda, tornar-se especialista na área, ao fazer uma especialização em Harmonização Orofacial. Muitas pessoas têm essa dúvida. Embora seja mais comum um dermatologista fazer a aplicação de Botox, um odontologista especialista no assunto também é capaz de realizar tal procedimento. Isso porque os dentistas possuem um grande conhecimento sobre a anatomia que compõem a cabeça e o pescoço.

Sendo assim, podemos afirmar que o uso da toxina botulínica nestas regiões, pode ser realizado, sim, por dentistas que possuem especialidade e qualificação nesse procedimento.

Como a toxina botulínica age no organismo?

Quando aplicamos a toxina botulínica no organismo, ela se espalha pelos tecidos da região onde foi aplicada até se ligar às terminações nervosas pré-sinápticas das junções neuromusculares e neuroglandulares. 

Com isso, ocorre a ação que dificulta a transmissão do estímulo, o que leva o músculo ao relaxamento. Sendo assim, tanto o processo de aplicação quanto o resultado possuem a vantagem de serem rápidos.

O organismo já mostra as alterações iniciais entre 48 a 72  horas após a aplicação da injeção e consegue atingir sua ação máxima depois de duas semanas no corpo. Porém, quando as regiões de aplicação recebem o tratamento pela primeira vez, a transmissão de impulsos nervosos entre as células vão sendo criadas pelo organismo de três a seis meses depois da aplicação.

A toxina botulínica é segura?

Essa é uma das maiores dúvidas dos pacientes, mas podem acalmá-los, pois a resposta é SIM. Uma das grandes vantagens da toxina botulínica é a segurança da aplicação dessa substância no organismo.

Dessa forma, podemos afirmar que os riscos são baixos, em comparação com outros procedimentos estéticos. Porém, mesmo assim, é fundamental ter cuidado ao realizar esse procedimento, como, por exemplo, saber se o seu paciente possui respostas alérgicas à toxina. 

Para que isso não ocorra é necessário fazer uma avaliação do paciente antes de começar o tratamento, a fim de prever possíveis complicações.

Quais são as aplicações da toxina botulínica na Odontologia?

Essa é uma das maiores curiosidades entre os dentistas, uma vez que a toxina botulínica é muito voltada para procedimentos estéticos. Porém, na odontologia temos mais funções para ela do que somente preenchimentos faciais, veja:

Estética

O uso mais conhecido da toxina botulínica é para alguns procedimentos estéticos e nesse artigo separamos para você quais são os mais procurados na clínica odontológica.

Assimetria facial

Alguns pacientes podem querer resolver algumas assimetrias presentes no sorriso, por exemplo. 

Em casos de sorriso torto, por exemplo, no qual um lado do lábio se eleva mais do que o outro, a aplicação da toxina pode relaxar a musculatura dessa região e fazer com que o sorriso fique mais alinhado.

Outra possível aplicação é quando uma bochecha é maior do que a outra. Dessa forma, a toxina ajuda a restaurar o equilíbrio da face.

Sorriso gengival

Esse tipo de sorriso ocorre quando é visível um excesso de gengiva ao sorrir, o que pode acometer as arcadas superiores, inferiores ou as duas juntas.

É importante ter um equilíbrio entre dentes, gengiva e lábios ao sorrir e, com a toxina botulínica, é possível realizar esse equilíbrio e alinhar o sorriso do seu paciente.

Isso é possível porque a toxina faz com que os lábios se distanciem menos na hora de sorrir, deixando a gengiva menos exposta.

Rugas e marcas de expressão

Os dentistas também possuem autorização para realizar a aplicação para redução de rugas e marcas de expressão no rosto, o conhecido Botox. Dessa forma, ao aplicar a toxina botulínica, a musculatura do local relaxa e a tensão na pele some, e, assim, é possível eliminar as marcas de expressão.

Tratamentos terapêuticos

A toxina botulínica está também ganhando cada vez mais espaço em tratamentos de patologias, dores faciais e condições que acometem a articulação temporomandibular (ATM).

Bruxismo

A condição caracterizada pelo ranger e apertar dos dentes pode ser amenizada com a toxina botulínica.

Essa ação involuntária acaba por gerar um esforço e desgaste muscular. Assim, a toxina botulínica consegue relaxar os músculos e impedir que eles sejam muito contraídos.

Disfunção Temporomandibular (DTM)

Também muito encontrada em pacientes com o bruxismo, a DTM é o comprometimento da articulação temporomandibular.

Ela é um importante componente facial, pois é responsável pelos movimentos de abrir e fechar a boca, de mastigação, fala, etc.

Portanto, essas funções podem ser também prejudicadas e gerar dores na orofaciais e de cabeça. Assim, no tratamento da DTM, a toxina botulínica reduz esses sintomas, além de ser uma alternativa pouco invasiva.

Sialorreia

Essa condição se refere ao excesso de saliva causado por fraqueza e/ou falta de coordenação da musculatura facial do paciente, que resulta na dificuldade de transportá-la ao estômago.

Além da falta de controle da salivação, a condição pode colocar o paciente em risco de aspirações e pneumonias, comprometimento do fechamento dos lábios e da deglutição.

Portanto, a aplicação da toxina botulínica pode ser feita diretamente nas glândulas salivares para o tratamento.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.