Doenças odontológicas

Tártaro nos dentes: tudo que você precisa saber

tartaro no dente

Também conhecido como cálculo dental, o tártaro é uma das mais conhecidas doenças que atingem a região bucal. Em suma, o tártaro não só prejudica a saúde dos dentes e gengiva, mas também é um problema estético, pois absorve as manchas com mais facilidade. Com isso, para aquelas pessoas que fumam ou tomam chá, ou café, é ainda mais importante que evitem a formação do tártaro.

 O tártaro é uma formação mineral facilmente visível, sendo o sinal mais comum, uma cor marrom ou amarela nos dentes na região da margem gengival e sua principal causa é a higiene inadequada ou insuficiente. 

Riscos para a Saúde

Se o tártaro não for tratado, pode causar manchas nos dentes e meu hálito, bem como afetar a autoestima do paciente. Além disso, pode irritar os tecidos gengivais e levar a problemas mais sérios como cáries, gengivite, retração gengival e periodontite. No entanto, os danos não se limitam a zona bucal, pois também afeta a saúde, colocando em risco o coração e os pulmões, uma vez que o sangramento causado pela periodontite pode fazer com que as bactérias entrem na circulação sanguínea, causando a endocardite bacteriana.

Como o tártaro surge nos dentes

Existem vários fatores que podem levar a formação do tártaro dental. Higiene inadequada ou insuficiente, alimentação com muito açúcar e poucos minerais. Também restaurações ou obturações mal adaptadas ou com recidiva de cárie. Próteses dentárias mal adaptadas e/ou com deficiente higienização. Assim como o uso de aparelho ortodôntico ou dentário, já que o mesmo dificulta a higienização.

Como evitar a formação do tártaro

A hora da escovação dos dentes é um dos poucos momentos do dia que reservamos para cuidar da saúde bucal.

Por isso, é muito importante prestar bastante atenção ao escovar os dentes, especialmente com um creme dental antitártaro e usar o fio dental regularmente, para que os resíduos de alimento não se acumulem e formem a placa bacteriana que fica depositada em diferentes partes, como na região próxima à gengiva, abaixo da gengiva e nos encontros entre os dentes.

Afinal, as bactérias se proliferam na placa se alimentando dos resíduos que a compõem. Além disso, é importante ter uma alimentação saudável, rica em minerais e pobre em açúcar, principalmente porque o açúcar favorece a proliferação de microrganismos e, consequentemente, a formação de placas e tártaro. Acima de tudo, os restos de alimentos deixados pela escovação são as principais causas do tártaro, e devem ser combatidos pela adesão de técnicas adequadas.

Quais são os tipos de tártaro nos dentes

Existem dois tipos de tártaro: o supragengival e o subgengival.

Tártaro Supragengival: Neste caso, o acúmulo do tártaro ocorre acima da borda da gengiva. Com isso é mais fácil de ser identificado e tratado, mesmo porque uma camada amarela escura se forma, sendo visualmente mais fácil de diagnosticar.

Tártaro Subgengival: Já neste caso, o acúmulo do tártaro ocorre abaixo da borda da gengiva. Sendo mais difícil a visualização do mesmo e impossibilitando a identificação visual. A coloração desse tipo de tártaro é mais esverdeada ou um tom escuro quase negro, sua consistência também se difere do tártaro supragengival, pois neste caso, ele é fortemente colado à superfície do dente.

Problemas que podem se originar a partir do tártaro:

Gengivite

É uma inflamação que afeta a gengiva. Ela acontece em decorrência da presença de bactérias e das toxinas liberadas por elas enquanto se alimentam dos resíduos acumulados nos dentes.

Periodontite 

É uma complicação da gengivite. A Periodontite é uma inflamação vai além da gengiva e todos os tecidos que sustentam os dentes são afetados. O problema alcança regiões muito profundas, como o osso que abriga as raízes. Por isso, pode ocorrer até mesmo a perda de dentes.

Retração gengival 

Condição em que a gengiva se retrai, ou seja, fica mais curta devido às inflamações, infecções e outras agressões provocadas pelas bactérias presentes no tártaro, também devido ao desequilíbrio da mordida. Quando a gengiva retrai, ela deixa a raiz do dente exposta, desencadeando sensibilidade e favorecendo os quadros de cárie radicular.

Riscos para a Saúde Geral

É verdade quando dizem que a saúde começa pela boca, e as complicações causadas pelo tártaro são uma prova disso.

Além de todos os impactos negativos que as bactérias provocam para a saúde bucal, elas conseguem alcançar órgãos importantes, como o coração e o pulmão. Podem desencadear o quadro chamado de endocardite bacteriana. Essa é uma inflamação que afeta o endocárdio, membrana que faz o revestimento da parede interna do coração.

No caso das bactérias alcançarem os pulmões, elas favorecem as pneumonias. Outro problema que pode ser causado pelas bactérias presentes no tártaro é a artrite reumática.

No caso das mulheres gestantes, é preciso ter bastante cuidado também, pois pode fazer com que o parto aconteça antes de 37 semanas de gestação, além de prejudicar o ganho de peso do bebê.

Tártaro em crianças

O tártaro não escolhe idade para aparecer, porém, as formas de prevenção desse problema em crianças são muito mais simples do que parecem.

Através de consultas, um odontopediatra dará as informações necessárias de como deve ser realizada a higiene bucal das crianças. Por esse motivo, é muito importante que seu filho passe por um dentista desde pequeno.

Como remover o tártaro

Após formado, só o dentista pode retirar o tártaro dos dentes. Para remover o tártaro, é necessário que o dentista seja consultado para ser feita uma avaliação. Seguem as opções:

Limpeza (tartarectomia)

O processo de retirada do tártaro, é realizado com instrumentos especiais e conhecido como “raspagem”  periodontal ou gengival.

Conforme a tabela de procedimentos odontológicos do Conselho Regional de Odontologia (CRO), uma limpeza completa deve custar, no mínimo, R$ 105.

É claro que, dependendo da região, da localização do consultório e da qualificação do profissional, esse valor pode ser um pouco mais alto ou um pouco mais baixo.

O procedimento remove o tártaro e a placa bacteriana, consequentemente, a gengivite desaparecerá. Com isso, poderemos evitar que a gengivite evolua para periodontite e cause perdas dentárias. Poderemos evitar a endocardite bacteriana causada pela periodontite. Dessa maneira, os dentes ficarão limpos e polidos, com uma gengiva de cor e aspectos muito mais saudáveis. A raspagem periodontal melhora saúde e estética do sorriso, além de melhora a autoestima e confiança.

Já para quem utiliza aparelho ortodôntico, o tratamento para acabar com o tártaro no dente é um pouco mais complicado. A remoção é semelhante, porém a manutenção em casa é muito importante. Existem escovas especiais para esses casos e a escovação deve ser mais demorada para potencializar a limpeza bucal.

Ultrassom

Outra opção é a utilização do aparelho de Ultrassom, pois o mesmo acelera a remoção dos tártaros. Este aparelho atua por ondas ultrassônicas, e através destas vibrações nos dentes, os tártaros vão sendo destruídos sem que ocorra nenhum tipo de dano a estrutura dentária sadia.

Em casos mais graves, quando o paciente possui muitos tártaros subgengivais é interessante que o paciente seja tratado por um periodontista, o especialista no cuidado da gengiva, que poderá oferecer um tratamento mais adequado para o restabelecer da saúde bucal removendo os tártaros supra e subgengivais.

É fundamental saber o momento de procurar o seu dentista. Afinal, é ele quem saberá guiar os seus passos rumo a uma boa higiene bucal. Por isso, ir ao dentista não deve ser visto como algo eventual, mas sim rotineiro. Então, não deixe para depois e comece agora a cuidar do seu sorriso, afinal ele é o seu melhor retrato!

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.