Tratamentos odontológicos

Síndrome do dente rachado: o que é, causas e tratamento

síndrome do dente rachado

Publicado por

Yuri

A síndrome do dente rachado consiste em uma fissura dentária que, na maioria dos casos, é muito pequena, tornando difícil a sua identificação e diagnóstico. 

Dessa forma, o acompanhamento regular e relato dos sintomas por parte dos pacientes são fundamentais para descobrir a origem da trinca e evitar o agravamento do quadro. 

A seguir, vamos conhecer mais a fundo a síndrome do dente rachado e como contar com o apoio do seu paciente para um tratamento mais eficaz. Confira a seguir! 

O que é essa síndrome? 

A síndrome do dente rachado é caracterizada por uma fratura ou trinca incompleta no dente, quase imperceptível ao olho nu.

Ao mesmo tempo, a condição dentária exige um tratamento rápido, uma vez que a progressão do quadro pode levar a uma fratura completa e comprometimento total do dente.

Só para exemplificar, a brecha serve como um ponto de proliferação de bactérias nas partes internas do dente. À medida que elas avançam pela polpa ocorre uma infecção dos vasos sanguíneos e nervos, levando a danos irreparáveis na estrutura do dente.

Nesse sentido, a síndrome de dente rachado exige um amplo conhecimento dos dentistas sobre sua etiologia, sintomas e tratamentos. Vamos conferir os três tópicos a seguir! 

Causas da síndrome do dente fissurado

A princípio, as rachaduras tendem a ocorrer em dentes com o esmalte danificado. Assim sendo, as causas mais comuns da síndrome do dente rachado são: 

  • Pressão excessiva sob o dente em alguns tratamentos odontológicos, como os implantes dentários, por exemplo;
  • Traumatismo dentário após um acidente ou durante uma atividade esportiva;
  • Bruxismo e tensão emocional dos dentes;
  • Problemas de má oclusão dentária;
  • Maus hábitos que danificam o esmalte, como usar os dentes para abrir embalagens, morder gelo, etc.;
  • Danos em restaurações dentárias.

Ao passo que a síndrome do dente fissurado tem um diagnóstico mais difícil, pois é imperceptível ao olho nu e pode não aparecer em exames de raio-x mais tradicionais, é importante que o dentista conte com a relação de confiança com o paciente. 

Desse modo, é possível ir além dos dados da anamnese e identificar possíveis causas e sintomas da síndrome do dente rachado.

Síndrome do dente rachado: sintomas

A princípio, a intensidade dos sintomas e das dores relatadas pelos pacientes variam conforme a progressão da síndrome do dente rachado, bem como a resistência à dor de cada paciente. 

Entretanto, os principais sintomas relatados são:

  • dor aguda ao mastigar alimentos mais duros;
  • sensibilidade à variação térmica, em especial ao frio;
  • aumento de sensibilidade a doces, alimentos ácidos e bebidas alcoólicas.

Mesmo que o apoio dos pacientes seja fundamental para descobrir o local da fissura, a dor muitas vezes irradia para a região em torno da origem, tornando o tratamento ainda mais complexo. 

Síndrome do dente rachado: tratamento

Conforme explicamos anteriormente, o tratamento da síndrome do dente rachado deve ser iniciado assim que a brecha é diagnosticada, para prevenir a extensão da fratura.

Nesse contexto, observar o tamanho e descobrir as possíveis causas no rachado do dente são pontos fundamentais para que o dentista estabeleça um plano de tratamento que vá além do consultório e propicie uma verdadeira mudança de hábitos.

Dentro do consultório, o primeiro passo é o ajuste oclusal, para eliminar um possível contato com o dente envolvido e, em seguida, realizar a restauração da resina.

Além disso, durante o tratamento, o profissional trata outros aspectos que podem ser resultantes do agravamento do quadro e interferem na estrutura dentária, como as cáries e as doenças periodontais. 

Logo, o diagnóstico precoce da síndrome aumenta a previsibilidade do tratamento e as chances de sucesso sem maiores complicações.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.