Tratamentos odontológicos

Restauração de dente: tudo sobre o procedimento

Restauração de dente

Diariamente, nos deparamos com o desafio de satisfazer as expectativas dos nossos pacientes na busca de um sorriso perfeito e a retomada da saúde bucal. Em muitos casos a solução partirá de uma restauração de dente. Portanto, neste texto vamos descrever tudo que você precisa saber sobre a restauração de dente.

O que é restauração de dente?

Em suma, é o procedimento realizado para reestabelecer um dente que sofre um processo destrutivo por lesão de cárie, fratura ou quando a intenção é modificar as suas características estéticas utilizando um material restaurador.

Objetivos da restauração de dente

Portanto, os objetivos deste procedimento são:

  • Recuperar a forma do dente
  • Reestabelecer a sua função
  • Restaurar a estética ou modificar a sua forma
  • Reforço mecânico em elementos fragilizados
  • Manutenção da vitalidade (complexo dentino-pulpar) por meio da remoção da cárie e correta proteção da polpa.

Passo a passo para a restauração de dente

A restauração dentária é um procedimento muito comum no dia a dia da prática odontológica, porém muitos erros no processo são cometidos, seja por desconhecimento ou por distração, e assim as complicações surgem.

Sendo assim, a falta de conhecimento sobre técnicas de adesão, inserção e polimerização fazem com que as restaurações sejam submetidas a um desafio muito maior do que elas possam suportar, o que leva ao fracasso e frustração em um período curto de tempo.

Portanto, vamos relembrar os principais passos da dentística restauradora que te ajudarão nos seus procedimentos.

Anamnese odontológica

Toda consulta deve começar pela anamnese e desenvolvimento do planejamento. Com a correria do dia acabamos atropelando esse processo ou realizando de forma incorreta, assim a escolha da melhor técnica para o caso passará desapercebida.

Como selecionar o tipo de restauração ideal?

Com o objetivo do sucesso clinico alguns fatores devem ser observados como: oclusão, hábitos parafuncionais, extensão da lesão existente, exame radiográfico, diagnóstico pulpar, atividade de cárie, assim como, controle dos fatores etiológicos.

A correta análise destes pontos nos ajudará na escolha do tipo de tratamento restaurador apropriado para o caso.

Tipos de restauração de dentes

Portanto, após esta análise será selecionada a melhor forma de restauração do dente comprometido. Os tratamentos restauradores mais utilizados atualmente são:

Restauração direta

Ou seja, aquelas realizadas no consultório na mesma consulta.

  • Amálgama
  • Resina composta
  • Cimentos – oxido de zinco e eugenol; ionômero de vidro.

Restauração indireta

As restaurações realizadas em laboratório de próteses dentárias

  • Ligas metálicas
  • Ouro
  • Resina composta indiretas
  • Sistemas cerâmicos

Profilaxia para restauração de dente

Faz-se a limpeza do local com escova Robson em baixa rotação, lembrando que a pasta profilática convencional altera a polimerização da resina composta.

Portanto, se a sua escolha de tratamento for utilizar a resina composta, faça a profilaxia com pedra-pomes e água.

Preparo cavitário

Sendo assim, após a escolha do tratamento restaurador adequado inicia-se o procedimento com o preparo cavitário.

Atualmente preza-se por preparos cavitários mais conservadores possíveis, portanto removendo o mínimo possível da estrutura dental. Assim como, o formato deste preparo dependerá do tipo de tratamento restaurador selecionado.

Em suma, se você selecionou a amálgama como material restaurador, por exemplo, o seu preparo precisará ter um formato retentivo e em alguns casos utilização de pinos retentores ou canaletas.

Portanto, quais são as finalidades do preparo cavitário?

1) Eliminar todos os vestígios do tecido adoecido/infectado

Quando a restauração de dente tem o objetivo de remoção da cárie dental, remove-se toda a cárie amolecida, considerando que a última camada, aquela que já se apresenta mais endurecida, é passível de remineralização, quando tratada adequadamente.

2) Criar uma cavidade com formas adequadas para o material restaurador.

Observe os dados coletados na anamnese e qual o tratamento selecionado para o caso.

3) Preservar a vitalidade da pulpar

Passos do preparo cavitário para restauração de dente

  • Abertura
  • Forma de Contorno
  • Remoção da Dentina Cariada (quando houver)
  • Forma de Resistência
  • Forma de Retenção
  • Forma de Conveniência
  • Acabamento das Paredes de Esmalte: Daremos uma atenção especial a este ponto, pois em muitos casos ele é negligenciado, porém, é muito importante, pois promove melhor adaptação do material restaurador e o vedamento marginal, diminuindo os índices de infiltração.

Instrumentais utilizados para o preparo cavitário

Instrumentos cortantes manuais:

  • Cinzéis
  • Enxadas
  • Machados
  • Recortador de margem gengival
  • Formadores de ângulo
  • Escavadores de dentina

Assim como os instrumentos rotatórios divididos em dois tipos:

Instrumentos rotatórios de corte

Os materiais utilizados são de aço (liga ferro-carbono) para baixa rotação ou carbide (carboneto de tungstênio) tanto em alta como baixa rotação.

Com relação ao tipo de lâminas deixaremos aqui algumas dicas:

  • 8 lâminas: remoção de dentina cariada
  • 12 lâminas: acabamento de escultura de amálgama
  • 30 lâminas: acabamento de resina composta

Instrumentos rotatórios de desgaste

Segundo tipo de instrumento rotatório para utilizado para o preparo cavitário, e estes são os abrasivos aglutinados ou de revestimento.

Limpeza da cavidade para restauração de dente

Lembra-se da lama dentinária? A tão conhecida “smear layer”, então… ao se concluir um preparo cavitário existe a deposição de uma camada de resíduos de esmalte, dentina, sangue, óleo que precisam ser removidos antes da colocação do material restaurador.

A limpeza da cavidade é feita com os seguintes materiais:

Agentes não desmineralizantes divididos em três tipos:

  • Germicidas: produtos à base de clorexidina, água-oxigenada
  • Detersivos: produtos detergentes (ex.: Tergensol, Tergentol)
  • Alcalinizantes: produtos à base de hidróxido de cálcio

Ou Agentes desmineralizantes:

  • Ácido fosfórico a 37%
  • ácido cítrico a 50%
  • EDTA a 15%
  • ácido poliacrílico a 25%

Como selecionar o melhor material para a restauração de dente?

A melhor escolha dependerá tanto da melhor habilidade do operador, tipos de materiais disponíveis, assim como das expectativas estéticas e disponibilidade financeiras do paciente.

Leva-se em consideração também a posição do dente na arcada e a extensão do preparo cavitário para seleção do material correto.

A opção restauradora direta mais utilizada hoje em dia é a da resina composta, devido à rapidez do tratamento, aliado ao baixo custo e resultado estético satisfatório.

Porém, cada caso deve ser analisado corretamente pelo profissional e as vantagens e desvantagens de cada procedimento precisam ser apresentadas ao paciente.

Restauração de dente profundas

Quando nos deparamos com restaurações profundas faz-se necessário lançar mão de técnicas que protejam o complexo dentino-pulpar e evitem o mal-estar da dor após o procedimento ou mesmo a evolução para um tratamento endodôntico.

Para isso se utiliza o forramento cavitário: capeamento direto ou capeamento indireto.

Tipos de forramento cavitários

Utiliza-se o forramento cavitário para proteger a polpa das agressões externas, formando uma barreira mecânica, térmica e elétrica.

Capeamento direto

Sabe aquele momento em que se está realizando o preparo cavitário e ocorre uma pequena exposição pulpar?

Esta técnica de forramento pode ser realizada para solucionar estes casos, mas fique atento! Para se obter sucesso, o paciente deve ser jovem, a exposição mínima da polpa e sangramento não excessivo, com cor vermelho vivo.

Realizando o processo corretamente ocorrerá a remineralização e formação de dentina secundária protegendo a polpa dental.

Os materiais utilizados são: hidróxido de cálcio, pó e cimento; ou MTA (agregado de trióxido mineral), cimento de ionômero de vidro, sistema adesivo e resina composta ou amálgama.

Capeamento indireto

Já no capeamento indireto não há exposição, mas cáries profundas ou fraturas. Sendo assim é necessário proteger a polpa.

Materiais utilizados são: cimento de hidróxido de cálcio ou MTA. O hidróxido de cálcio é mais usado por ser mais barato e mais fácil de aplicar. O MTA apresenta propriedades melhores, porém um custo alto e a sua preza é muito demorada.

Quando é necessário substituir uma restauração de dente?

Uma restauração deverá ser substituída quando apresentar sinais de infiltração, rachaduras, perda do vedamento marginal ou quando se observa na radiografia a presença de cárie secundária.

Em casos de restaurações anteriores o pedido de substituição pode ser solicitado pelo paciente por questões estéticas.

Tratamento restaurador atraumático

Este tipo de procedimento é muito comum em saúde pública, mas pode ser adaptado para alguns casos em consultório, principalmente em pediatria.

É utilizado para a adequação bucal em casos de múltiplas cáries e a paralisação do processo cariogênico.

A remoção do tecido cariado é realizada com o uso de curetas ou colheres de dentina e sem o uso de anestesia. Remove-se a cárie amolecida e a restauração com cimento de ionômero de vidro.

Conclusão

A restauração de dente é um procedimento realizado para reestabelecer um dente que sofre um processo destrutivo por lesão de cárie, fratura ou quando a intenção é modificar as suas características estéticas utilizando um material restaurador.

O procedimento deve ser planejado através da anamnese e o material a ser utilizado dependerá de alguns fatores como: oclusão, hábitos parafuncionais, extensão da lesão existente, exame radiográfico, diagnóstico pulpar e atividade de cárie.

Atualmente o material mais utilizado para restauração do dente é a resina composta, por sua rapidez na aplicação e baixo custo, porém como todos os materiais, apresenta limitações que podem ser diminuídas quando se utiliza a técnica restauradora corretamente.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.