Sistema Odontológico

Receita odontológica: tudo que você precisa saber

Receita odontológica

A receita odontológica é um dos documentos mais comuns no dia a dia dos dentistas. Entretanto, mesmo sendo um documento comum no consultório, é normal gerar algumas dúvidas.

Por isso, é muito importante conhecer todas as normas para emissão correta das receitas de seus pacientes. Dessa forma, preparamos esse texto completo para tirar todas as suas dúvidas sobre o documento.

O que é a receita odontológica?

Conforme lei 5.081, de 24/8/1966, compete ao dentista prescrever e aplicar especialidades farmacêuticas de uso interno e externo, indicadas em odontologia. Dessa maneira, o dentista pode prescrever os remédios relacionados a prática odontológica.

Para prescrição de remédios utiliza-se um documento denominado receituário ou receita odontológica. Nesse documento deve conter todas as informações relacionadas ao uso do medicamento, como a forma de uso, cuidados e orientações.

Para efetuar a prescrição de remédios é necessário que o profissional se atente para alguns detalhes. O primeiro deles é a necessidade do profissional de saúde coletar informações do paciente, investigar e interpretar seus sinais e sintomas, para fazer o diagnóstico.

Após o diagnóstico, o dentista deve deixar claro seus objetivos terapêuticos, selecionando o tratamento mais eficaz e seguro para o paciente.

Finalmente, após identificar o problema e traçar a medida terapêutica se realiza a prescrição medicamentosa, visando melhorar a saúde do paciente. Sendo assim, o dentista deve explicar ao paciente a terapêutica selecionada e orientar sobre como proceder. É importante que após a prescrição medicamentosa se faça um acompanhamento do paciente para verificar a evolução e possíveis efeitos adversos.

O que deve conter em uma receita odontológica?

Para efetuar uma receita odontológica completa, você deve se atentar para alguns detalhes.

  • Receituário: Primeiramente, caso utilize um receituário tradicional, deve-se utilizar papel timbrado. Ou seja, nele deve conter sua logomarca e seguir os padrões da sua identidade visual. Dessa maneira, deve-se colocar no rodapé informações como o endereço do seu consultório, telefone de contato, e-mail e site.
  • Preenchimento de dados: O preenchimento se inicia com o nome completo do paciente, seguido da prescrição do remédio. Para efetuar a prescrição de maneira adequada, deve-se colocar o tipo de uso, o nome do remédio, posologia, concentração e quantidade. Como no exemplo a seguir:

Para: Juliana Costa

Uso Oral:

  1. Paracetamol                         500 mg                            1(uma) Caixa

Tomar um comprimido a cada 12 horas em caso de dor.

2.  Cetoprofeno                         150 mg                            1(uma) Caixa

Tomar um comprimido a cada 6 horas por 7 dias

Como é possível perceber no exemplo, para prescrição de múltiplos fármacos é importante enumerar cada um, para evitar possíveis confusões.

Depois da identificação da medicação, é necessário explicar a forma de uso do remédio prescrito, para que o paciente não tenha nenhuma dúvida. Além disso, deve conter o intervalo de tempo que o medicamento deve ser tomado, além da quantidade de dias e tempo.

Finalmente, a receita deve terminar com o local e data da indicação. Além disso, deve ser carimbada e assinada pelo dentista emitente.

Caso a receita for preenchida a mão, tenha cuidado com a letra, dando preferência a letra de forma, para garantir que a mesma seja legível pelo paciente. Além disso, é importante explicar ao paciente as contraindicações e efeitos colaterais do medicamento prescrito.

Principais remédios prescritos na receita odontológica

Durante a prática clínica, o dentista pode fazer a prescrição de vários remédios. Dessa forma, ele pode receitar remédios visando o benefício do paciente, sendo coadjuvantes na terapêutica odontológica estabelecida

A prescrição medicamentosa por dentistas exige cautela e não objetiva tratar especificamente doenças sistêmicas. Por essa razão, a prescrição não deve ser feita de forma prolongada, devendo ser específica ao ato ou durante o tratamento odontológico.

Dentre os remédios usados, o CROSP listou as substâncias mais prescritas pelos cirurgiões-dentistas. São elas:

  • Anti-inflamatórios: remédios utilizados para controle de inflamação. Podem ser considerados esteroidais ou não esteroidais.
  •  Analgésicos: remédios utilizados para controle da dor. Podem ser classificados como não opioides e opioides.
  • Antidepressivos: remédios utilizados no tratamento e controle da dor crônica, ansiedade e depressão. Porém, podem ser usados no tratamento odontológico.
  • Anticonvulsionantes: São considerados fármacos usados nos distúrbios dolorosos orofaciais.
  • Antitérmicos usados em infecções odontogênicas: Algumas infecções odontogênicas desencadeiam febre como sintoma da infecção. Dessa maneira, o dentista pode usar antitérmicos para o controle desse sintoma.
  • Antimicrobianos: são drogas que conseguem inibir o crescimento de microorganismos, indicadas para o tratamento de infecções microbianas sensíveis.

Receita odontológica tradicional

A receita odontológica tradicional é aquela receita padrão, preenchida manualmente pelo dentista, utilizada para o paciente com dor, inflamações, infecções, alergias, entre outras condições. Para emissão dela utiliza-se o receituário.

O receituário, de uma maneira geral, é normalmente impresso com a logomarca e nome do dentista. Entretanto, algumas informações são obrigatórias, como o nome completo do paciente, medicação, forma de uso, posologia, concentração do medicamento, identificação do dentista (nome completo e número do registro no conselho), data e local. Além disso, a receita odontológica deve estar carimbada e assinada pelo profissional, e em caso de medicamentos como antibióticos, o receituário deve ser emitido em duas vias.

Uma das desvantagens de se utilizar esse tipo de receita, é a falta de entendimento da letra do dentista, o que pode gerar dificuldades no paciente ao entender as orientações descritas.

Outro problema desse modelo de receita, é a necessidade da presença do paciente para prescrição. Dessa forma, o paciente precisa ir ou estar no consultório para obtê-la.

Vantagens de utilizar a receita tradicional:

  • Não depende do acesso à internet: com a receita tradicional, basta ter o seu bloco de receituário, caneta e carimbo, que você poderá prescrever o medicamento, não dependendo de mais nada.

Receita odontológica digital

O Conselho Federal de Odontologia (CFO), aderiu à indicação desse formato de receita, sendo muito positivo para o dentista. Dessa forma, o profissional consegue receitas, atestados e solicitações de exames assinados de forma segura e autêntica, uma vez que para gerar esses documentos eletrônicos é necessário criar um certificado digital.

Em suma, a ferramenta tem a função de validar a receita em meio digital (formato PDF) quanto a sua autoria. Permite, ainda, verificar a integridade do documento assinado com certificado digital ICP-Brasil, ou seja, garantir que ele não foi adulterado.

Para emitir a receita digital, é necessário emitir um certificado digital do ICP-Brasil e, em seguida, entrar na plataforma ITI para validação da autenticidade do documento.

Vantagens de utilizar a receita digital:

  • Sustentabilidade: Uma das maiores vantagens de se utilizar a receita odontológica é a diminuição do uso do papel. Pois todo o processo de assinatura é feito de forma digital, sem a necessidade de imprimir guias ou documentos para serem assinados presencialmente. Dessa forma, a emissão das receitas, além de sustentável, é econômica.
  • Praticidade: A assinatura eletrônica pode ser feita por qualquer dispositivo móvel, garantindo maior celeridade nos processos e no fluxo de atendimento dos pacientes da sua clínica. Ainda, outro ponto interessante destacar, é que ela pode ser enviada ao paciente sem o mesmo estar fisicamente presente.
  • Segurança: A receita odontológica digital evita as fraudes relacionadas a prescrição de remédios e a automedicação por parte do paciente. Isso se deve a necessidade do certificado digital para fazer a prescrição. Como este está vinculado a você, a falsificação fica dificultada.

Para a redação da receita, você pode utilizar um software odontológico. Ele permite salvar as receitas com as medicações mais usuais, e contém um banco de prescrição de remédios que possui a lista de vários remédios, contendo sua posologia, forma de administração e genéricos. Isso facilita a busca e o entendimento da sua farmacologia. Além disso, é necessário apenas o preenchimento do nome do paciente e a medicação. Ainda, possibilita a assinatura do arquivo manual ou digitalmente, salvo automaticamente dentro da plataforma, no prontuário do paciente.

Conclusão

A receita odontológica faz parte da rotina do dentista. Por ser um documento legal, é necessário efetuar o preenchimento de maneira correta, garantindo o entendimento do paciente e do farmacêutico.

Sendo assim, é necessário preenchê-la corretamente para evitar problemas, assim como, sempre estudar e se atualizar sobre as medicações, entendendo sua ação e efeitos adversos gerados, para auxiliar da melhor forma os pacientes.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.