Materiais odontológicos

Pino de fibra de vidro – tudo que você precisa saber

pino de fibra de vidro

Conforme o Conselho Federal de Odontologia, “entre 800 mil e 2,4 milhões de componentes de prótese dentária são colocados por ano no país“. O pino de fibra de vidro ganhou espaço na realidade de consultórios odontológicos que lidam com restauração da coroa dentária. Isso acontece, pois pacientes que passam por processos da endodontia normalmente buscam restauração dos dentes para recuperação da estética e função destes. 

O que é pino de fibra de vidro?

Cada vez mais os pacientes estão buscando manter a estética dos dentes. No tocante a este aspecto, os pinos de fibra de vidro são amplamente utilizados. Este material pretende reconstruir a estrutura dental estética e funcional perdida.

O pino é utilizado para manter a saúde dos tecidos de suporte, além de aguentar o estresse aplicado.

Pino de fibra de vidro é o material usado para confeccionar uma raiz dentária artificial a fim de recuperar a estética e função do dente.

Os pinos de fibra de vidro surgiram nos consultórios odontológicos a fim de substituir os pinos metálicos, dado que possuem uma estética mais favorável por possuírem coloração semelhante com o do dente, além de promover um menor desgaste à dentina.

Quais os tipos de pinos?

Pinos pré-fabricados e personalizados:

  • Pinos pré-fabricados: são aqueles utilizados em dentes com pequenos canais circulares, apresentam melhor estética, simplicidade e uma técnica que dispensa etapas laboratoriais, sendo de maior rapidez;
  • Pinos personalizados: melhor adaptação.

Pinos paralelos e cônicos:

  • Pinos cônicos: se aproximam da forma natural da raiz, mas apresentam maior estresse no seu entorno;
  • Pinos paralelos: maior estresse na região apical da raiz e maior desgaste do dente, mas ainda sim são melhores retentores;
  • Pinos paralelo-cônicos: possui forma paralela ao longo do comprimento, exceto pela porção apical, que possui formato cônico. 

Quais os materiais podem ser usados para fazer o pino?

Os pinos podem ser personalizados ou pré-fabricados. Os pinos personalizados podem ser feitos a partir de núcleos metálicos fundidos ou núcleos cerâmicos personalizados.

Já os pré-fabricados podem ser confeccionados a partir de materiais metálicos e não metálicos. No que diz respeito aos não metálicos, pode-se utilizar fibra de carbono e de vidro, quartzo ou zircônia. 

Independente do material utilizado, é importante que este seja biocompatível, tenha propriedades físicas parecidas com a da dentina e seja um amortecedor do impacto sofrido.

Como selecionar?

Para o profissional da odontologia selecionar o pino, este deve analisar algumas características do paciente, são elas:

  • Quanto há de estrutura dental restante;
  • Qual a configuração do canal;
  • Qual a preservação da dentina radicular;

A partir dessas informações, o profissional deve analisar atentamente as características dos pinos e decidir qual o melhor para cada caso específico.

Como escolher o pino de fibra de vidro?

O cirurgião dentista pode optar pelo pino de fibra de vidro para aqueles pacientes que ainda possuem metade do dente e evitar nos casos de canais amplos, dado que isso demandaria uma considerável quantidade de cimento, o que poderia gerar perda de resistência e fraturas. 

As raízes do dente do paciente definem o comprimento do retentor intracanal. Quando maior for o comprimento do pino localizado no interior do osso, maior sua retenção e distribuição das forças.

Para evitar contaminação, o selamento apical deve ser entre 3 a 5mm. Ainda, o dentista deve também garantir o efeito férula, mantendo uma borda para o apoio da coroa do dente. Isso é feito a fim de que se evite o efeito de cunha e consequentemente uma possível fratura radicular vertical. 

Por outro lado, determina-se sua largura tendo em vista a preservação da estrutura dentária, diminuindo as chances de perfuração e fraturas.

Baseando-se nisso, a largura não deve ser maior do que 1 ⁄ 3 da largura da raiz para que a aplicação do cimento seja correta, preservando a estrutura dentária. Além disso, o pino deve estar rodeado por cerca de 1 a 2mm de dentina saudável.

Por fim, o formato do pino deve seguir o contorno anatômico vertical e transversal do canal radicular.

Vantagens e desvantagens do pino de fibra de vidro

Um pino de fibra de vidro é composto de fibras de vidro longitudinais voltadas para uma única direção envoltas na matriz BIS GMA, o que fornece uma coloração adequada. Quanto maior a quantidade de fibras, maior sua resistência e rigidez; mas os profissionais podem encontrar diferentes quantidades, dado que esta varia consoante o fabricante.

Vantagens dos pinos de fibra de vidro:

  • Adequada resistência mecânica;
  • Módulo de elasticidade parecido com o do dente, absorvendo as tensões e protegendo o remanescente radicular;
  • Alta resistência à fadiga e fratura;
  • Fácil manipulação;
  • Adesão química às resinas, dispensando tratamento de superfície antes da cimentação;
  • Menor custo quando comparado a outros métodos, como a fibra de carbono;
  • São fototransmissores;
  • Apresentam adequada estética por conta da refração e transmissão de luz.

Contudo, o profissional pode observar algumas dificuldades na resistência de união entre o pino de fibra e a dentina, como, por exemplo, a contração de polimerização do cimento resinoso nos canais radiculares. Ainda, pode haver empecilhos na polimerização do cimento na região apical, o formato do canal radicular e a quantidade de dentina coronária remanescente.

Preparo do dente para colocar o pino

Para colocar o pino de fibra de vidro no dente, o dentista precisa remover a estrutura dental adicional, o que pode enfraquecer o dente. Nesses casos, 

Protocolo clínico

O protocolo clínico da aplicação dos pinos é composto por algumas etapas. Primeiramente, o profissional da odontologia deve selecionar o pino para o tratamento. Depois disso, este deve desobstruir o canal radicular nas medidas adequadas.

Em seguida, deve-se realizar a otimização da anatomia endodôntica através do uso das brocas até atingir o diâmetro compatível com o pino. Então, o dentista deve fazer o corte, preparo e higienização do pino que utilizará.

Em seguida, realiza-se a cimentação e a aplicação do cimento até o canal, o que pode ser feito por meio de uma broca. Outrossim, deve-se posicionar o pino, remover o excesso e fotopolimerizar.

Conduta do cirurgião dentista

Fica evidente que o profissional da odontologia que optar por trabalhar com a aplicação dos pinos de fibra de vidro deve conhecer os casos nos quais se recomenda o uso deste. A partir disso, deve-se realizar a técnica de aplicação correta para sucesso do tratamento.

Ainda, é importante que o profissional faça um termo de consentimento livre e esclarecido para que o paciente assine, já que o procedimento pode resultar em algumas complicações. Por mais que isso não seja frequente, o profissional precisa estar preparado. 

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.