Tratamentos odontológicos

Pericoronarite: sintomas, tratamento e muito mais

Pericoronarite

A pericoronarite é um processo infeccioso agudo caracterizado pela inflamação do tecido gengival que recobre parcialmente um dente retido.

Esta condição está associada com a erupção de dentes decíduos ou permanentes e pode ocorrer em qualquer dente (mais comumente encontrada junto a erupção de terceiros molares inferiores). Entretanto, a incidência maior de pericoronarite é nos terceiros molares inferiores semi erupcionados, devido à posição favorável ao acúmulo de biofilme e restos alimentares ao redor do dente.

Nos casos de pericoronarite, o acúmulo de alimentos entre a gengiva e o dente, proporcionam o crescimento bacteriano na região. Clinicamente, o tecido gengival se torna inflamado, avermelhado e o paciente relata muita dor.

Com a evolução da pericoronarite, o quadro pode se agravar, podendo levar ao desenvolvimento de otalgias, disfagia, halitose, linfadenopatia cervical e trismo.

Pericoronarite sintomas e sinais

Diante dos sinais e sintomas associados à pericoronarite, os mais comuns são dor aguda no local, inchaço, mau hálito e gosto ruim na boca. Além disso, outros sintomas podem incluir inflamação do retalho de tecido que recobre o dente em erupção, secreção de pus na região, sangramento e dificuldade em abrir a boca.

Nos casos mais avançados de pericoronarite, sintomas como febre e mal-estar, dores de cabeça, garganta e ouvido. Além desses, ínguas no pescoço, linfonodomegalia cervical, podem ser observados.

Diagnóstico da pericoronarite

O diagnóstico é realizado por um dentista. Inicialmente, o profissional irá avaliar os sintomas relatados pelo paciente e examinará a região afetada. Dessa maneira, caso haja necessidade, pode ser que o profissional solicite uma radiografia para avaliar melhor a posição do dente em questão.

Tratamento da pericoronarite

O tratamento de escolha vai depender da intensidade dos sintomas. Entretanto, como a pericoronarite é uma inflamação, o medicamento de escolha são os anti-inflamatórios que irão contribuir para a redução do inchaço, dor e a vermelhidão da gengiva.

Algumas formas caseiras como fazer bochechos com água morna e sal ou água-oxigenada, são de fácil preparo e ajudam a aliviar os sintomas. Portanto, em casos mais avançados, onde há a presença de uma infecção, o profissional irá prescrever o uso do antibiótico adequado.

Pode extrair o siso com pericoronarite?

Para a realização da extração de um dente com pericoronarite, é necessário que a inflamação esteja contida e tratada. Sendo assim, este procedimento é, na maioria das vezes, indispensável para evitar novas inflamações e problemas recorrentes no local onde o siso está nascendo. A cirurgia é simples e de baixo risco, realizada em consultório e com anestesia local.

Se a cirurgia não for recomendada ou pelo fato do siso ter espaço suficiente para nascer e permanecer na arcada dentária, um pequeno procedimento, chamado ulectomia, pode ser o tratamento de escolha. A ulectomia é um procedimento cirúrgico, em que a gengiva que recobre o dente é retirada.

A prevenção ainda é a melhor opção. Assim, evita-se que a inflamação se inicie. Uma boa e correta higienização, incluindo escovação dentária e uso do fio dental, contribuem para a remoção de alimentos e biofilme dos dentes, evitando a proliferação de bactérias que podem provocar esse tipo de quadro inflamatório.

Lembre-se que se não tratada, a pericoronarite pode evoluir para uma infecção, que pode ser leve, moderada ou severa, podendo atingir outras estruturas como os ossos, garganta e o ouvido.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.