Doenças odontológicas

Mordida profunda: tudo que você precisa saber

mordida profunda

A mordida profunda é um tipo de má-oclusão com etiologia multifatorial. É diagnosticada pelo dentista e corrigida, principalmente, pelos profissionais especialistas em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Por afetar a estética e a mastigação, é um caso visto com frequência nas clínicas odontológicas. Dito isso, esse artigo tem o objetivo de esclarecer todas as questões acerca desse tema.

O que é mordida profunda?

Também conhecida como sobremordida, a mordida profunda é um transpasse vertical dos dentes anteriores superiores sobre os inferiores. Esta sobreposição é considerada normal quando proporciona 2 a 3mm. Assim, quando o paciente possui essa proporção maior, é diagnosticado com sobremordida exagerada, marcante ou profunda.  

Antes de tudo, o dentista que receber um paciente com essa má oclusão em sua clínica, analisa os movimentos de lateralidade, abertura e protusão, que caracterizam essa condição. A mordida profunda deve ser tratada quanto antes para não acarretar problemas na ATM, no crescimento e no desenvolvimento facial.

O que causa a mordida profunda? 

Primeiramente ressalta-se que a sobremordodida é multifatorial. As principais causas observadas são:

  • Bruxismo
  • Retrusão mandibular
  • Altura de cúspide e crescimento vertical da mandíbula
  • Altura do ramo mandibular e padrão facial
  • Perda dentária posterior
  • Comprimento dos incisivos superiores e inferiores
  • Excesso de força da musculatura na mastigação
  • Herança genética

Além disso, é preciso ressaltar que, geralmente, a causa não é isolada, e sim um conjunto de fatores. 

A identificação da etiologia é de extrema importância para a escolha do tratamento correto. Sendo assim, o dentista tem que identificar o padrão facial, o crescimento mandibular e maxilar, a relação sagital, a linha do sorriso, a distância lábio incisivo superior e inter labial, e o comprimento do lábio.

Tipos de mordida profunda

Existem 2 tipos dessa condição:

Mordida profunda adquirida 

Esta é adquirida com o tempo, devido ao desgaste dos dentes, postura parofuncionais linguais ou a perda precoce dos dentes posteriores. 

Mordida profunda congênita 

Esse tipo é caracterizado por ter influências genéticas, logo, o paciente terá herdado dos pais os genes e já nascerá com essa condição. Somado a isso, a mordida congênita pode ser subdivido em duas subcategorias: 

  • Mordida profunda esquelética: caracterizado por conta de problemas na estrutura esquelética.
  • Mordida profunda dentoalveolar: quando o indivíduo apresenta problemas na estrutura dos dentes.

Sintomas da mordida profunda

O paciente com esta condição pode apresentar:

  • Dores articulares
  • Dor de cabeça
  • Problemas respiratórios
  • Dificuldades na mastigação
  • Retroação na gengiva
  • Mandíbula travada
  • Feridas no céu da boca, causadas pelo atrito com os dentes inferiores

Como corrigir a sobremordida?

Após diagnosticar as possíveis causas dessa condição, cabe ao profissional escolher a melhor forma de tratamento. Outros fatores como a idade do paciente, estética facial, e quantidade de exposição dos dentes também irão interferir na estratégia utilizada. 

Os principais tratamento utilizados são ortodônticos ou ortopédicos. O aparelho ortodôntico utilizado pode ser ou não fixo, e, com o avanço tecnológico, estão cada vez mais esteticamente agradáveis para facilitar essa etapa do paciente. Importante ressaltar que a duração da utilização do aparelho varia em cada caso, podendo ser meses ou anos. 

Por ser uma condição que pode causar graves danos, não somente estéticos, mas à saúde bucal e geral, o diagnóstico deve ser feito quanto antes. O dentista que ficar responsável pelo tratamento em crianças pode utilizar as Pistas Diretas de Planas. A PDP é um recurso que ajudará na intervenção e prevenção da mordida profunda, pois as resinas confeccionadas diretamente sobre o dente decíduo, ajudando na mudança da postura da mandíbula.

Já em casos mais graves, de ordem esquelética, por exemplo, a única solução eficaz é a cirurgia ortognática. Esse procedimento consegue recuperar a função mastigatória do paciente e a estética facial. A cirurgia, geralmente, é feita por dentro da boca, não sendo necessário o corte no rosto e utiliza-se placas e parafusos de titânio para fixar a nova posição do maxilar. 

Essa má oclusão também pode estar associada a outras condições, como o retrognatismo. Este é caracterizado pela aparência de “queixo pequeno” do paciente, causada quando há um crescimento inadequado dos ossos da maxila. Sendo assim, o corretor ortopédico funcional é o mais aconselhável, uma vez que será responsável por auxiliar no avanço do maxilar inferior. Entretanto, esse tratamento só será eficaz em pacientes ainda em fase de crescimento. 

Tipos de aparelho para tratar a mordida profunda

Como os aparelhos ortodônticos são os mais utilizados para resolver essa condição, o profissional responsável poderá dar algumas opções para o paciente. Estas variam com o material, preço, tempo de tratamento e também conforme o caso do paciente

Aparelho fixo metálico

Este é o mais tradicional. As suas vantagens são em relação ao custo se comparado às outras opções e o tempo de duração é em média de 2 anos, com consultas quinzenais para manutenção. Somado a ele, durante a utilização do aparelho, o elástico pode ser um grande aliado para acelerar o processo.

Aparelho fixo estético

O aparelho fixo estético possui a mesma estrutura do convencional, porém apresentem materiais como policarbonato, safira ou de porcelana, que, como resultado, serão mais discretos e estéticos. Por conta desse benefício estético, esse tipo de aparelho tem um custo maior.

Aparelho transparente

Os aparelhos transparentes ou invisíveis são os queridinhos do momento. A maior diferença para os aparelhos fixos está na aparência do sorriso do paciente durante o tratamento, pois, como o próprio nome diz, este fica invisível. Além disso, o tempo de duração também é bem menor quando comparado ao tradicional, podendo durar 8 meses dependendo da gravidade do caso. 

O tratamento é separado por ”fases”, com o paciente trocando o alinhador a cada 14 dias, em média. Dessa maneira, definindo essas fases, o dentista também consegue dar uma previsibilidade correta da duração do alinhamento com aparelho, contando, é claro, com a disciplina de uso do aparelho móvel.

Diante desses benefícios, o aparelho invisível tem um custo maior, mas é uma ótima opção para adultos que querem resultado rápido e moderno. 

Como diagnosticar a mordida profunda

O dentista especialista em ortodontia deverá ter em mente 3 fatores para analisar e fazer o diagnóstico de seu paciente: 

  • Avaliar a exposição da gengiva: essa análise é feita quando o paciente sorri e fala, ajudando com o diagnóstico facial.
  • Avaliação dentária: obviamente, é necessário que o dentista faça o diagnóstico dentário, analisando os fatores como desgastes e a inclinação dos dentes inferiores e superiores.
  • Diagnóstico cefalométrico: esta etapa do diagnóstico irá permitir que o ortodontista visualize o desenvolvimento dos ossos da face do indivíduo, etapa muito importante para a escolha do tratamento adequado. 

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.