Doenças odontológicas

Língua branca: saiba como diagnosticar e tratar

Língua branca

Uma insatisfação comum de pacientes é a presença de língua branca, sendo esta com ou sem sintomas relacionados. A aparência normal do músculo é caracterizada pela cor rosada, enquanto nos casos de anormalidade ela pode apresentar uma cor esbranquiçada. Por este motivo, o cirurgião dentista precisa conhecer as causas e tratamentos envolvidos nesta condição para oferecer o melhor suporte ao paciente.

Definição

A saburra lingual é também designada por língua branca e ocorre quando há produção de compostos voláteis na área posterior do dorso da língua. Isso acontece, pois a anatomia do músculo não é regular, favorecendo o gradual acúmulo de células mortas, bactérias, metabólitos e restos de alimentos. Como consequência disso, a língua adquire um aspecto anormal com coloração esbranquiçada ou amarelada.

Causas da língua branca

A saburra lingual possui causa multifatorial e se caracteriza pelo acúmulo de alimentos e células mortas entre as papilas da língua, gerando a saburra. 

Desta forma, a condição pode ser causada pela má higiene da língua. No entanto, algumas questões de saúde também podem interferir na língua branca, como alguns medicamentos (antibióticos, por exemplo), doenças crônicas (hipotireoidismo e diabete) e baixa do sistema imunológico. Além disso, fatores como desidratação, excesso do consumo de álcool e tabaco, piercing na boca e jejuns prolongados também interferem na formação da língua branca.

A presença de saburra lingual pode ainda estar relacionada a outros fatores odontológicos tais quais, língua geográfica, fissuras dorsais e a altura das papilas gustativas. Todos esses fatores cooperam para a predisposição ao desenvolvimento da língua branca, dado que estas características fisiológicas dificultam a higienização do músculo. A partir disso, facilita-se a deposição das substâncias que formam a saburra. Ainda, a doença periodontal, xerostomia, leucoplasia, líquen plano oral e candidíase oral também favorecem o desenvolvimento da língua branca.

Candidíase oral

A candidíase oral é a doença caracterizada pela infestação do fungo Candida albicans na boca. Ocorre em casos de baixa imunidade, sendo mais frequente em pessoas com um sistema imunológico naturalmente mais fraco. Quando o paciente apresenta, além da língua branca, placas com textura de algodão e aftas acompanhadas de dor, o profissional de odontologia deve desconfiar de candidíase oral.

Leucoplasia oral

Caso o dentista reconheça, além do aspecto esbranquiçado da língua, um aumento da camada de queratina da cavidade oral, este pode suspeitar também de leucoplasia oral.

Líquen plano

O líquen plano é uma doença autoimune cujos sintomas incluem, além da língua branca, a inflamação da cavidade oral e sensação de ardência ao consumir alimentos quentes, picantes ou ácidos.

Sífilis

Sífilis é uma doença sexualmente transmissível que pode contaminar a boca pelo sexo oral desprotegido. Esta também tem como um dos sintomas a presença de placas brancas na língua.

Diagnóstico da língua branca

O cirurgião dentista, durante a consulta com o paciente, deve examinar atentamente a língua deste, de modo a identificar uma possível saburra lingual. Isso é importante, pois as causas dessa condição são diversas, podendo significar uma doença grave ou não. Desta forma, quando o profissional da odontologia reconhece a língua branca e a investiga, pode identificar uma doença com tempo hábil para o tratamento.

Relação entre halitose e língua branca

A halitose é conhecida usualmente como mau hálito e se caracteriza por modificações no hálito do indivíduo. Esta condição pode ter origem patológica, como doença autoimune e tratamento com quimioterapia, ou não patológica, como jejum prolongado, alto consumo de cigarro e bebida alcoólica.

A principal causa da halitose é o acúmulo de matéria orgânica na cavidade bucal. Esta, por sua vez, é decomposta pelas bactérias anaeróbias ali presentes, causando o mau hálito.

Tratamento da língua branca

O tratamento para a saburra lingual varia conforme a sua causa. Inicialmente, o profissional da odontologia deve recomendar a higiene bucal completa do paciente. Logo, este deve incentivar uma rotina em que o paciente realize corretamente a escovação dental com dentifrício adequado. Ainda, deve recomendar também o uso de fio dental, a fim de prevenir a doença periodontal e a raspagem da língua para eliminar a saburra. Quanto a esta última recomendação, o cirurgião dentista pode oferecer algumas possibilidades para o paciente, que pode adquirir um raspador de língua ou usar aquele presente no dorso de algumas escovas dentais. É importante destacar que alguns pacientes podem ter reflexo de vômito ao usar o raspador presente nas escovas, fazendo com que estes não consigam utilizá-la e prefiram o raspador.

Contudo, alguns pacientes, com o uso do raspador de língua, podem gerar lesões no músculo por conta da força utilizada. Deste modo, se o paciente optar pelo uso deste, o cirurgião dentista deve orientar quanto a maneira de realizar a limpeza.

No entanto, quando o paciente não apresenta melhora mesmo com estas medidas, o profissional deve investigar mais a fundo a causa da condição para oferecer o melhor tratamento ao paciente.

Caso o sintoma esteja relacionado a alguma doença, o dentista deve iniciar o tratamento com os medicamentos mais indicados para cada caso.

Profilaxia

Para evitar o desenvolvimento da saburra lingual, o cirurgião dentista deve recomendar que o paciente realize a higiene correta dos dentes. Este deve aplicar o fio dental ao menos uma vez por dia, raspar a língua e escovar os dentes durante dois minutos com dentifrício fluoretado. Além disso, é interessante também utilizar enxaguante bucal a fim de eliminar possíveis microrganismos que estejam se acumulando no dorso da língua.

Outrossim, o profissional deve recomendar também que o paciente se mantenha sempre hidratado, bebendo água constantemente e estimulando a produção de saliva. Este deve também ter uma alimentação saudável, sem excessos de álcool e tabaco.

Por fim, é fundamental que o paciente realize uma consulta de rotina entre uma a duas vezes no ano para que o profissional examine a cavidade oral e identifique possíveis problemas.

Conduta do profissional da odontologia

Portanto, fica evidente que o profissional da odontologia deve se atentar ao aspecto da língua do paciente. Caso este apresente alguma alteração, como a saburra lingual, o dentista deve investigar a causa. Se esta for de sua competência, deve iniciar o tratamento para evitar complicações. Caso contrário, deve indicar o paciente para o profissional da saúde adequado para solução do problema.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.