Doenças odontológicas

Linfonodomegalia cervical: tudo que você precisa saber

Linfonodomegalia cervical

A linfonodomegalia cervical é um problema que se caracteriza pelo aumento dos gânglios linfáticos, que normalmente ocorre quando o corpo está combatendo uma infecção, ou um tipo de câncer.

Os gânglios linfáticos são pequenas estruturas que estão espalhadas por todo o corpo e funcionam como filtros para substâncias nocivas ao organismo, possuindo também células imunológicas que atuam no combate a infecções.

Alguns pacientes se dirigem ao consultório com queixas relativas a aumento dessas estruturas, e muitos a relacionam com problemas bucais. Dessa forma, preparamos um texto completo para você entender um pouco desse problema, além de orientar corretamente seu paciente. Confira!

O que é linfonodomegalia?

Linfonodomegalia cervical

A linfonodomegalia é o aumento dos gânglios linfáticos decorrente do combate a alguma infecção no organismo. Esse aumento é popularmente chamado de íngua, podendo atingir regiões especificas, ou ter uma ação generalizada. Entretanto, apesar de poder se apresentar em qualquer parte do corpo, as áreas mais comuns são o pescoço, axilas, região inguinal e no mediastino.

Dessa forma, quando o problema surge de maneira localizada, ocorre apenas o aumento dos gânglios em uma região. Entretanto, quando se apresenta de forma generalizada ocorre o acometimento de duas ou mais regiões.

Sendo assim, o problema pode evoluir de maneira aguda, subaguda ou crônica.

Causas da linfonodomegalia cervical

Alterações nos linfonodos costumam gerar bastante preocupação nos pacientes, pois os mesmos fazem parte do sistema de drenagem e defesa do corpo, o sistema imunológico. Isto posto, vários são os motivos que podem resultar em linfonodomegalia cervical, sendo os mais comuns entre eles os problemas inflamatórios ou infecciosos, e em alguns casos menos comuns pode ser indicativo de câncer.

As causas mais comuns conforme as regiões do corpo são:

  • Linfonodomegalia cervical: pode apresentar na região do pescoço, atrás da orelha e perto da mandíbula, podendo ser consequência de faringite, infecções de pele, conjuntivites, mononucleose, infecção de ouvido, da boca ou dentes;
  • Linfonodomegalia clavicular: pode aparecer devido à toxoplasmose, tipos de câncer como o de mama, testículo, pulmão, mediastino ou gastrointestinal, tuberculose, sarcoidose.
  • Linfonodomegalia inguinal: decorrência de doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis, cancro mole, herpes genital, donovanose e câncer na região genital.
  • Linfonodomegalia axilar: podem aparecer em decorrência de infecções de prótese de silicone nas mamas, câncer de mama, melanoma, linfoma e doença da arranhadura do gato.
  • Linfonodomegalia generalizada: consequência de doenças como mononucleose, artrite idiopática juvenil, dengue, brucelose, doença de Chagas, rubéola, sarampo, HIV e uso de alguns medicamentos.

Dessa forma, pode-se observar que várias são as causas da linfonodomegalia, seja ela a cervical, ou de outra região. Sendo assim, caso o seu paciente se queixe do problema, deve-se efetuar o encaminhamento ao médico, para adequada investigação do motivo do problema.

Primeiros sinais de linfonodomegalia cervical.

É muito importante verificar as queixas dos pacientes e encaminhá-lo ao médico para investigar a causa base. Alguns sintomas são característicos desse problema, sendo os mais comuns:

  • Presença de caroço no pescoço;
  • Nódulo dolorido e avermelhado;
  • Persistência do aumento dos linfonodos;
  • Sintomas associados.

Sintomas de linfonodo maligno

Como já mencionado, em casos rasos, a presença da linfonodomegalia cervical pode estar relacionada a câncer, sendo os sintomas mais comuns nesses casos:

  • Perda de peso excessiva;
  • Febre;
  • Sudorese;
  • Alteração na voz;
  • Alteração na respiração;
  • Sangramento na boca;
  • Dificuldade de deglutição;
  • Feridas na pele ou na parte aero-digestiva alta.

Alguns aspectos como consistência dura e tamanho maior que 2 cm são algum dos indicativos de gravidade do aumento dos linfonodos.

Outro fator já observado, é que a presença inchaço dos gânglios localizados próximo à clavícula, afetando o lado esquerdo do corpo, em pessoas com mais de 40 anos, principalmente naquelas que possuem familiares acometidos por câncer de mama, intestino, melanoma e tireoide, apresentam maiores chances de gravidade.

Diagnóstico da linfonodomegalia cervical

Os diagnósticos da maioria dos casos relacionados a esse problema são identificados por anamnese e exame físico detalhado. Entretanto, alguns casos em específicos devem ser diagnosticados de maneira cautelosa, como em pacientes jovens que apresentam febre, cefaleia, dor de garganta e alterações nos exames de sangue.

São muitas as causas de linfonodomegalia, sendo necessária a diferenciação das causas para um diagnóstico mais preciso. No caso da cervical, é necessário investigar problemas como infecções bucais e dentárias, faringite, tumores de nasofaringe e tireoide, doença de Graves, infecções virais sistêmicas, dengue, tuberculose, paracoccidioidomicose e toxoplasmose.

Não existe um protocolo de exames laboratoriais específicos para a linfonodomegalia cervical, sendo os exames solicitados de maneira individualizada e baseados nas hipóteses diagnósticas. Sendo assim, os exames mais comuns solicitados são o hemograma, e exames de imagem, como a ultrassonografia. Entretanto, costumam ser solicitados com maior frequência para casos crônicos, generalizados ou com suspeita diagnóstica de tumor.

A biópsia é solicitada apenas em casos inexplicáveis, como a linfonodomegalia cervical localizada com suspeita de tumor. De maneira geral, quando a suspeita se trata de um processo infeccioso, se dá a procura e pesquisa de bactérias, fungos, além de exames habituais. Entretanto, quando se suspeita de processo neoplásico, se acrescenta nos exames de rotina à histologia habitual a imuno-histoquímica, para tentar determinar o sítio primário do tumor.

Linfonodomegalia cervical em crianças

Linfonodomegalia cervical em crianças

O aumento dos gânglios linfáticos do pescoço, axila ou da virilha em crianças é bastante comum, sendo um questionamento comum nos consultórios. Entretanto, a maioria desses casos não são graves, sendo um sinal comum de resposta a alguma infecção.

Os motivos mais comuns desse problema é a presença de doenças infecciosas ou autoimunes, podendo também ser consequência de reação de vacina, hipertireoidismo, sarcoidose e doença de Kawasaki. Dessa maneira, deve-se sempre encaminhar a criança para uma consulta com pediatra, para correta investigação da condição.

Tratamento da linfonodomegalia cervical

O tratamento da linfonodomegalia se baseia no tratamento da causa base do problema. Dessa forma, os tratamentos irão se diferenciar entre si.

De uma maneira geral, em casos como infecções de pele ou subcutânea, faringite, conjuntivite viral ou bacteriana, doença da arranhadura do gato, doenças sexualmente transmissíveis, os tratamentos medicamentosos são os amplamente utilizados.

Pode-se concluir que apesar da linfonodomegalia cervical apresentar várias causas, uma importante e comum causa, dentre elas, são as infecções bucais e dentárias, sendo papel do dentista atenção nesses casos. Dessa forma, orientar o paciente a buscar orientação médica, assim como, realizar um trabalho multidisciplinar sobre o caso é fundamental para solução do problema.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.