Tratamentos odontológicos

Laserterapia na odontologia: saiba tudo sobre o tratamento

laserterapia odontologia

Diante dos avanços tecnológicos, os dentistas vêm buscando métodos menos invasivos, que prezem o conforto do paciente e entreguem resultados rápidos. Com isso, a laserterapia ganhou bastante espaço nas clínicas odontológicas e, em 2008, a habilitação em laserterapia foi reconhecida pelo CFO, para assegurar esta prática profissional de maneira segura.

Devido ao seu abrangente potencial de utilização em diversas especialidades e tratamentos, esse procedimento vem obtendo bastante sucesso nas clínicas. Acompanhe nesse artigo tudo sobre o uso da laserterapia na odontologia. 

O que é laserterapia 

Laser é uma palavra originada do inglês formada pela abreviação de “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation”. Traduzindo, significa “Amplificação da luz por emissão estimulada de radiação”. 

Sendo assim, a laserterapia nada mais é que um tratamento no qual o aparelho utilizado, tem como base a emissão de raios de laser específicos que possuem um único comprimento de onda e se propagam de maneira concentrada e unidirecional, incidindo sobre a área do corpo desejada. Esses lasers podem ser de alta ou baixa intensidade, de acordo com sua potência. 

Qual a diferença da laserterapia e terapia fotodinâmica?

A laserterapia é caracterizada apenas pelo uso do aparelho laser que faz a fotobiomodulação. Diferentemente disso, na terapia fotodinâmica há a associação do aparelho laser com fotossensibilizador que, assim, irá eliminar os microrganismos. 

O que é LBI E LAI 

LBI significa laser de baixa intensidade, com potência em torno de 40 a 100mW, e não possuem potencia destrutivo. Esse laser faz fotobiomodulação, ou seja, trabalha estimulando o tecido, fornecendo efeito anti-inflamatório, analgésico e cicatrizante. Os lasers de baixa intensidade são divididos em 2 grupos que se diferem no comprimento da luz, sendo eles: laser vermelho ou infravermelho. 

O laser vermelho possui menor penetração no tecido, usado para lesões mais superficiais. Já o laser infravermelho é utilizado em lesões mais profundas, pois possui maior penetração no tecido.

LAI são lasers de alta potência, também conhecidos como cirúrgicos. Devido às ondas emitidas acima de 1000 mW de potência, muita energia é depositada em uma pequena área, gerando calor e resultando em alto potencial destrutivo. Portanto, são usados para coagulação, cauterização e ablação, sendo o último usado em gengivectomia, frenectomia, etc.. Além disso, devido à alta temperatura, os dentistas utilizam bastante os lasers cirúrgicos para esterilização da região. 

Os lasers mais utilizados para esses tipos de procedimentos são: Excimer, CO2, Argônio, Nd- YAG,  Er- YAG, entre outros. 

Principais benefícios da laserterapia na odontologia 

Lasers de baixa potência: 

  • Aumenta a qualidade da organização tecidual
  • Incrementa a síntese de colágeno
  • Reduz a inflamação
  • Indolor
  • Curto tempo de aplicação
  • Menor tempo de cicatrização

Lasers de alta potência: 

  • Desinfecção do campo operatório
  • Boa hemostasia devido à cauterização dos vasos
  • Melhor visualização do campo operatório
  • Utilização de menor quantidade de anestésico
  •  Ausência de sutura e menos dor e edema
  •  Melhor pós-operatório o paciente. 

10 principais aplicações da laserterapia na odontologia: 

  • Hipersensibilidade dentinária

Atua aliviando os sintomas do paciente, para que o tratamento da causa seja feito com mais conforto do paciente. 

  • Pós-operatório

O laser consegue reduzir a dor e edema, além de acelerar o processo de cicatrização. Dito isso, a laserterapia é muito utilizada após procedimentos de instalação de implantes, extração de dente e cirurgias periodontais.

  • Herpes

A laserterapia não atua matando o vírus, e sim encurtando o processo, fazendo a fotobioestimulção para que o organismo combata melhor o vírus. 

  • Afta

Auxilia na dor do paciente e encurta o processo da lesão. 

  • Doenças oncológicas 

Os lasers estão sendo utilizados para a recuperação de pacientes oncológicos que passaram por cirurgias bucais, já que ajuda a prevenir infecções e a diminuir dores e sensibilidade.

  • Cirurgias de tecido mole e duro

Em cirurgias como frenectomia, no método convencional, há uma grande quantidade de sangue, necessidade de suturas e outros procedimentos que causam desconforto ao paciente. Diferentemente, quanto utilizado o laser, não há sangue e o procedimento é bem mais confortável para o paciente.

  • Remoção de tecido cariado

Com a utilização do laser, na remoção do tecido cariado não há atrito com uma superfície no dente, como feito pelas brocas, ele aquece a região até a remoção do tecido. 

  • Desinfecção

Devido à alta temperatura, é possível eliminar microrganismos em qualquer campo contaminado, como na endodontia, implantodontia, etc.

  • Clareamento dental 

O laser nesses casos possui a função parecida do LED, ou seja, não são responsáveis pelo clareamento sozinho, e sim, atuam como coadjuvante em conjunto com o gel de peróxido.

  • Remoção de facetas 

Os dentistas precisam retirar facetas por vários motivos, como por problemas periodontais, execuções em que o paciente não gostou, entre outros. Visto isso, os lasers de Nd- YAG,  Er- YAG possuem uma característica interessante em remoções de facetas, sem danificarem o trabalho nem os dentes. 

Quanto custa os aparelhos de lasers utilizados na odontologia? 

Os lasers para cirurgia de tecido mole já estão a mais tempo no mercado, custam cerca de 20 mil reais. Já os utilizados para remoção de facetas e de tecido cariado, cirurgia de tecido duro e demais procedimentos, são mais raros no Brasil, chegando a custar 120 mil reais. 

Dicas para utilização da laserterapia

Primeiramente, é importante que o profissional deixe a superfície que irá receber o laser bem seca, pois a água reflete a luz que pode se perder, diminuindo a dose. Somado a isso, deve proteger a manopla da película de PVC e deixá-la o mais próximo da área a ser irradiada, também para diminuir a dose. 

Ademais, é preciso estudar a dose/potência ideal para cada procedimento, para não causar nenhum dano ao tecido e ter o melhor resultado. 

Contraindicação do uso da laserterapia odontológica: 

Esse é um procedimento considerado seguro, utilizado em crianças e idosos. Mas, apesar dos diversos benefícios citados em amplos procedimentos, em alguns casos é preciso, uma vez que estimulam o metabolismo das células locais. Sendo assim, em casos de suspeita de tumor ou de infecção local, a laserterapia não é indicada. 

De qualquer forma, os profissionais devem orientar o melhor procedimento de acordo com a avaliação individual de cada caso

Em resumo, a laserterapia já possui muitos estudos e artigos que comprovam sua eficiência, mas, para o seu correto uso é necessário muito estudo. Por isso, leia, faça cursos e aprofunde seu conhecimento acerca desse tratamento muito eficaz na odontologia.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.