Tratamentos odontológicos

Implante dentário: tudo o que você precisa saber

Implante dentário

O dente tem importante função no processo de alimentação do ser humano. Porém, em determinadas patologias, estamos propensos a sua extração. A reposição da ausência dentária é feita por próteses, dentre elas o implante dentário é a melhor técnica disponível na atualidade.

Hoje falaremos das indicações, condições pré e pós-operatórias, e valores deste procedimento que reabilita mais de 20 mil pacientes ao ano.

O que é o implante dentário?

Implante dentário é uma modalidade protética que visa repor a ausência de 1 ou mais dentes de forma fixa.

O implante substitui a raiz do dente sem a necessidade de desgaste de outros dentes, tornando este procedimento mais conservador na manutenção dos dentes em boca.

É o titânio o metal que constitui o implante. Ele é considerado biocompatível, por ser a única liga que se une ao osso sem causar rejeição. Porém, novos estudos científicos indicam a Zircônia (material cerâmico) e o PEEK (polímero termoplástico orgânico), como materiais promissores para fabricação de implantes.

É importante salientar que o barateamento de custo do implante, possibilita mais estudos relacionados a sua biocompatibilidade, tornando este mais acessível.

Indicações para implantar dentário

Certamente, a indicação para colocação de implantes é a ausência dentária. Ela pode ser oriunda de:

  • Cárie dental: Quando a destruição do dente causada pela cárie é extensa, impossibilitando a restauração;
  • Doença Periodontal ou doença gengival: causada por tabagismo, causa hereditária, inflamações e infecções que causam reabsorções ósseas, mobilidade dental;
  • Traumas: avulsão por traumas, tombos, acidentes.
  • Agenesia de elementos, quando não há nascimento de alguns dentes.

Ademais, é importante salientar que na ausência de um único dente, é possível a instalação do implante. Abaixo seguem os tratamentos disponíveis:

  1. Implante dentário unitário: utilizado para repor uma ausência dentária, embora não impeça a instalação de outros implantes. Pode ser instalado após realização de enxerto ósseo ou no momento da extração, por exemplo.
  2. Implante dentário dois por três: utilizado para reposição de três dentes vizinhos, onde são necessários apenas dois pilares de titânio para suprir ausência de três ou mais elementos;
  3. Prótese Protocolo ou prótese fixa total sobre implante: utilizado para repor a ausência de todos os dentes de arcada superior e/ou inferior;
  4. Carga imediata: quando é colocado pino de titânio concomitante ao dente provisório (dente intermediário colocado antes do definitivo);
  5. Overdenture: da mesma forma do implante indicado para quem perdeu todos os dentes, a overdenture substitui ausências superiores e/ou inferiores, porém sua instalação encontra-se a frente da arcada, afim da retirada da prótese. O objetivo é melhorar a higiene bucal do paciente, com indicação para pacientes com problemas gengivais.

Contraindicações do implante dentário

Embora apresente inúmeras vantagens, alguns pacientes são contraindicados na instalação de implantes. Enumeramos aqui abaixo estes casos:

  1. Crianças e jovens na fase de formação óssea: embora não exista uma idade mínima para instalação de implantes, considera-se a idade de 18 anos para o tratamento, devido à formação óssea.
  2. Pacientes em uso de medicamentos a base de Bifosfonatos: devido a componentes existentes nestes medicamentos tais como: alendronato e pamidronato, aumenta-se o risco de necrose óssea, contraindicando a instalação de implantes.
  3. Tabagistas: devido a complicações relacionadas a saúde gengival, há evidências de dificuldades no processo de osseointegração.
  4. Pacientes portadores das seguintes doenças: Diabete Mellitus descontrolado, que esteja realizando hemodiálise, que passaram recentemente por infarto e AVC, ou que tenham se submetido a cirurgia cardíaca nos últimos 06 meses.
  5. Pacientes portadores de neoplasias malignas: embora inúmeras condições desfavoráveis ao ambiente bucal no tratamento de cânceres, a instalação de implantes durante a quimioterapia e metástase são contraindicadas.

Acima de tudo, é importante ressaltar que todos os casos descritos acima, requerem acompanhamento do dentista, especialmente em alguns casos onde subsequente ao tratamento e controle da doença, a instalação do implante passa a ser indicada.

Cuidados no pré e pós-operatórios

Para obter sucesso na instalação do implante e posteriormente sua prótese, o paciente precisa se preparar para a cirurgia e pós-cirurgia.

É importante saber que neste processo, a avaliação do dentista e seu acompanhamento são fundamentais no êxito do tratamento. Após anamnese alguns exames serão solicitados. São eles:

Raio-X panorâmico

Com a finalidade de visualizar a condição óssea que abriga a raiz do dente e seus níveis e proporções, a panorâmica obtém imagem em 2D de toda a cavidade oral, e permite ao dentista o planejamento, de modo a avaliar a necessidade de enxerto ósseo ou não.

Tomografia computadorizada

Da mesma forma que a panorâmica, a Tomografia Computadorizada do tipo Cone Bean, visa observar as condições para implantar a ausência dentária, entretanto, diferente do raio-X, visualiza-se ossos e tecidos em 3D, técnica está, que fraciona melhor a relação da área cirúrgica.

Considera-se a tomografia o exame de imagem mais importante para o sucesso do planejamento e execução no implante.

Exames laboratoriais

A fim de diminuir qualquer complicação em decorrência da instalação do implante em pacientes com patologias, necessita-se da realização de exames laboratoriais, como:

  • Hemograma completo;
  • Glicemia;
  • Coagulograma e;
  • Eletrocardiograma,

São exames complementares solicitados pelo dentista, a fim de um bom planejamento para implantar pinos.

Enxerto ósseo para implante dentário

Através de exames de imagem, o dentista pode observar deficiências ósseas impedindo o implante. Portanto, determina-se o enxerto ósseo.

O enxerto caracteriza-se pelo preenchimento de material ósseo endógeno ou autógeno, ou seja, uma substância análoga ao osso, podendo ser biológica ou similar à existente no corpo.

Portanto, antes da realização do implante dentário, é necessário executar a cirurgia de enxertia óssea, e, posteriormente a biodisponibilidade local, liberar o paciente para instalação do pino de implante.

Técnica operatória

Assim como em diversas modalidades cirúrgicas na odontologia, o manejo clínico para instalação do implante é elementar, uma vez que se realiza em consultório, sem sedação, e, anestesia local.

Pós-operatório

Afim da finalização com a coroa definitiva, necessita-se aguardar a osseointegração. Processo este, que leva de 4 a 6 meses.

Acima de tudo, seguir às prescrições e recomendações odontológicas, sobretudo quanto à higiene, alimentação e repouso, especialmente 48h pós-cirurgia, de modo a evitar complicações tais como, sangramentos e infecções.

Quanto custa o implante dentário

Para se chegar ao valor de um implante, necessita-se da avaliação da condição dentária de cada paciente. Em seguida considera-se precificar a colocação do implante.

Assim sendo, primeiro avalia-se dentes perdidos, seguido do número de pinos a serem implantados, além dos materiais que serão utilizados, para finalmente obter o valor definitivo.

Portanto, mensurar valores em implantodontia, torna-se multifatorial, cabendo avaliação da particularidade de cada paciente.

Seja como for, o implante dentário é, sem dúvidas, a melhor opção para repor dentes ausentes, devolvendo aos pacientes estabilidade mastigatória, e sobretudo qualidade de vida.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.