Materiais odontológicos

Gesso odontológico: guia completo sobre sua utilização

Gesso odontológico

O gesso odontológico é um material produzido a partir de processos químicos (na odontologia, o sulfato de cálcio dihidratado) ou encontrado em várias partes do mundo através da mineral gipsita. Tem coloração branca ou acinzentada.

Frequentemente utiliza-se o gesso odontológico em tratamentos ortodônticos, tratamentos protéticos, cirurgias bucomaxilofaciais. Também é utilizado na confecção de prótese sobre implantes dentários, lentes de contato dental e facetas de porcelana, e restaurações dentárias indiretas (são chamadas de indiretas, pois não são aplicadas diretamente na boca do paciente, visto que o material é confeccionado em laboratório).

Como é produzido o gesso odontológico

A produção do gesso para uso odontológico começa com a trituração do mineral até partículas muito finas e, em seguida, o gesso é calcinado a várias temperaturas. A calcinação converte a forma de di-hidrato em hemi-hidrato. O pó resultante é, então, esfriado, e a ele adicionado certos elementos químicos para controlar as propriedades do gesso, bem como aditivos para controlar a alteração dimensional.

A produção dos diferentes tipos de gessos depende da granulometria do pó, do tipo de calcinação, forno aberto ou fechado, temperatura e ambiente dentro do forno.

Tipos de gessos odontológicos

Gesso do tipo I – Gesso com menor resistência mecânica e maior absorção de água, esse primeiro tipo também recebe o nome de gesso de moldagem e atualmente tem pouco uso na odontologia. Ele é constituído de materiais como gesso Paris e amido.

Gesso do tipo II – Conhecido como gesso Paris, é utilizado frequentemente na confecção de moldeiras para clareamento dentário. Isso porque esse tipo de objeto não requer alta precisão ou resistência, sendo que as características oferecidas pelo gesso satisfazem as necessidades. É constituído através da mineral gipsita.

Gesso do tipo III – Esse tipo também recebe o nome de gesso de pedra. O gesso do tipo III tem como características a maior uniformidade e menor porosidade quando comparado aos outros tipos de gesso. Dessa maneira, o gesso de pedra é o mais comumente utilizado nos procedimentos odontológicos. Ele pode estar presente tanto na confecção de modelos, quanto na confecção de bases para próteses dentárias.

Gesso do tipo IV – O gesso do tipo IV, também nomeado como gesso pedra especial, tem como principais características a dureza e a resistência. Além disso, ele possibilita a realização de procedimentos com maior precisão. Sua constituição inclui pedras de baixa expansão para confecção de troqueis e modelos.

Gesso do tipo V – Esse outro tipo de gesso de pedra conta com altas propriedades mecânicas. Isso porque, em sua constituição, ocorre uma diminuição da relação entre a água e o pó formador do gesso. Além disso, a principal característica desse gesso odontológico é a maior resistência e capacidade de expansão.

Gesso do tipo VI (gesso sintético) – Gesso pedra de baixa expansão, fortalecido com resina e gipsita alfa melhorada, tornando o modelo mais resistente à fratura e abrasão, apresentando baixa expansão de presa e estabilidade dimensional. Este gesso é fortalecido com resina, resistente à fratura e ao corte, e possui grande resistência marginal durante o troqueamento e a exposição das margens do preparo. Indica-se para a fabricação de troquéis, bandas dentárias e modelos para técnicas de metais preciosos e cerâmicos.

Características do material

Em geral, os gessos odontológicos são moldáveis e resistentes. Além disso, eles contam com secagem rápida para otimizar e agilizar o tratamento odontológico. Contudo, é necessário um tempo até que possa ser manipulado de forma eficaz, possibilitando reproduzir todos os detalhes da impressão.

Existem algumas regrinhas quanto ao uso desse material para obter um bom desempenho na execução do seu trabalho, como: utilizar a proporção adequada, seguir a ordem de colocação dos materiais e saber escolher o tipo certo para cada situação

Quais cuidados se deve ter com o gesso odontológico

O gesso odontológico exige alguns cuidados importantes. Seguem abaixo dicas sobre esses procedimentos de armazenagem, preparo e limpeza do local.

Armazenamento – O gesso é um produto suscetível à umidade. Portanto, o mesmo deve ser armazenado em sacos plásticos lacrados e acondicionados em uma lata fechada, para não ocorrer alterações químicas. O prazo de validade para utilização é de seis meses.

Preparo – A proporção entre água e pó para o preparo do gesso depende de cada fabricante. Contudo, quanto maior for essa relação, mais prolongado será o tempo de presa, maior será a porosidade e menos resistente o produto final. Para obter melhores resultados, primeiramente, coloque a água e depois o gesso.  Dessa forma, você hidratará com facilidade, proporcionando uma mistura mais homogênea e sem ar incorporado.

Limpeza da superfície dos moldes – Os moldes devem ser lavados sob água corrente para eliminar o muco e a saliva presentes, e após, borrifar o molde com uma substância desinfetante. Após a lavagem, é preciso retirar o seu excesso com jatos de ar. Este procedimento tem a finalidade de acelerar a presa da camada de gesso em contato com o alginato, evitando assim, possíveis alterações dimensionais devido à troca de líquido entre eles.

Gesso odontológico e avanço da tecnologia

O uso do gesso foi um procedimento muito utilizado antes do surgimento da odontologia digital. Embora ainda seja popular em alguns consultórios odontológicos, ele vem perdendo sua força frente ao scanner intraoral.

Rápido, limpo, preciso e sustentável, o trabalho digital agiliza os tratamentos e causa menos desconforto ao paciente. Apesar de terem a mesma finalidade, existe muita diferença entre o gesso e o scanner intraoral.

O scanner intraoral funciona fazendo uma leitura completa da arcada dentária com uma câmera intraoral. Os dados capturados criam uma imagem em 3D de altíssima qualidade.

Depois disso, o material é entregue a um laboratório que faz a prototipagem com uma impressora 3D. Alguns profissionais preferem concluir todo o trabalho no próprio consultório, então optam por comprar o equipamento completo (scanner intraoral e impressora).

O tratamento com gesso odontológico, apesar de envolver gastos com materiais, envolvimento de outros profissionais, espaço propício para o procedimento, tempo maior de espera para a criação dos modelos e desconforto do paciente, ainda é de grande importância para a odontologia, sendo ainda muito utilizado para auxiliar nos diagnósticos, planejamentos e tratamentos. Com isso, visam reabilitar dentes que sofreram perdas de partes de sua estrutura por cáries, quebras, traumas ou até mesmo tratamento de canal, e com isso retornar à sua forma e função originais.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.