Doenças odontológicas

Dentes quebradiços: saiba tudo esse problema

Dentes quebradiços

Dentes quebradiços são um problema que impacta tanto na saúde como na estética dos pacientes. Entretanto, dentes fracos e quebradiços não são uma condição comum, devendo ascender um sinal de alerta, uma vez que são essenciais para o paciente e sua causa está geralmente associada a outros problemas.

Um dente quebrado pode causar dor, inflamação, infecção e possivelmente a necessidade de tratamento de canal, causando muito desconforto aos pacientes. Confira!

Causas dos dentes quebradiços

Os dentes quebradiços podem possuir diferentes motivos. Entre eles, os principais motivos envolvem o bruxismo e o hábitos de higiene ruim, que podem levar ao aparecimento de cáries, por exemplo. Isto posto, é uma disfunção comum entre os pacientes e os tratamentos não necessariamente são os mais simples.

Caso o paciente com o dente fraturado seja diagnosticado com bruxismo, o tratamento deve ser feito direto na causa do problema, que no caso do bruxismo, pode ser motivada por problemas psicológicos, traumas, estresse, estilo de vida ruim, entre outros.

O indicado em caso de pacientes com dentes quebradiços é investigar a causa origem do problema para tratá-la. Porém, não necessariamente essa tarefa será fácil, já que a maioria das quebras de dentes se dá por cáries ocultas, dificultando muito o diagnóstico.

Dentre todos os motivos que podem resultar em dentes quebradiços, os principais são:

  • Bruxismo
  • Má oclusão
  • Pancadas e traumas
  • Cáries
  • Restaurações de grande extensão
  • Quebra de raízes ou coroas

Entretanto, como já mencionado, a principal causa do problema são as cáries, relaciona a negligência da saúde bucal dos pacientes. Na maioria das vezes, o paciente só chega no consultório quando sente algum sintoma ou desconforto, o que dificulta a prevenção do problema.

A periodontite também é um problema relacionado a fratura nos dentes, sendo uma doença de caráter infeccioso e inflamatório, pode levar a aumento do tamanho dos elementos dentários, aumentando sua mobilidade e levando a uma fratura.

Outros fatores que concorrem para fragilizar os dentes são os processos de atrito dental decorrentes de hábitos como morder ou roer unhas e objetos; escovação com força excessiva; o mau posicionamento dental e até mesmo a mastigação pode favorecer o desenvolvimento de trincas e fraturas. Além desses, desgaste natural dos dentes, erosão ácida do esmalte, tratamentos endodônticos e alimentação deficiente.

Como identificar

Dentes quebradiços

É comum que os pacientes não percebam os dentes quebrando, dessa forma, é importante orientá-los a observar os seguintes sinais:

  • Dor no dente
  • Sensibilidade na escovação
  • Rachaduras,
  • Inchaços ao redor dos dentes

Entretanto, a dor no dente é um sinal de diferentes problemas de saúde bucal. Dessa forma, é importante orientar o paciente sobre a atenção necessária ao problema, e a importância de frequentar o consultório odontológico.

Tratamento para dentes quebradiços

Dentre os possíveis tratamentos para a fratura dos dentes estão a extração, restauração, polimento, restauração de canal e uso de coroa.

A extração é indicada em casos alarmantes, quando nenhum outro tratamento é possível. Dessa maneira, quando o dente quebra atingindo a gengiva, se indica a extração para prevenção de infecções.

Já a utilização da restauração se dá em casos pequenos e médios. Ainda, elas podem ser feitas de forma direta, ou indireta, dependendo de cada caso.

Os polimentos são feitos em casos pequenos, quando ocorrem rachaduras, ou a perda do dente é imperceptível.

O tratamento de canal e aplicação de coroas são feitos em casos mais graves, assim como a extração. Sendo assim, o canal é indicado quando ocorre dano a polpa do dente e a coroa quando não ocorre danos internos.

Prevenção da fragilidade dos dentes

Caso o paciente possua bruxismo é necessário recorrer a apoio multidisciplinar para resolver o problema, por se tratar de uma patologia de causas múltiplas.

Orientar o paciente com bons hábitos de higiene, além de consultas profiláticas a cada 6 meses ajudam a prevenir o problema. Além desses, tratar a má oclusão, orientar o paciente a não morder ou roer unhas e manter uma alimentação equilibrada, também são formas de prevenção.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.