Procedimento Estético

Clareamento dental: conheça todas técnicas e estratégias

Clareamento dental

O clareamento dental é um procedimento estético que consiste na recuperação da cor original do dente, em tons claros. Esta é uma das demandas estéticas mais frequentes dos consultórios odontológicos. Isso acontece, pois os dentes alinhados e brancos fazem parte do padrão de estética atual. Dessa forma, é fundamental que o profissional da odontologia conheça as melhores técnicas a serem aplicadas para obtenção deste resultado.

Escurecimento do dente

Uma soma de fatores pode estar relacionada ao escurecimento dos dentes. Eles podem ser:

  • Extrínsecos: aqueles causados pelo tabagismo, alimentos e bebidas com corante artificial, além de chás e café;
  • Intrínsecos: dentinogênese imperfeita, flourose e traumatismos;
  • Iatrogênicos: abertura inadequada da coroa durante o acesso e uso incorreto de alguns materiais para a obturação.

Mecanismo de ação do clareador dental

O dentista, ao aplicar o agente clareador nos dentes do paciente, permite que estes oxidem os compostos orgânicos presentes, liberando radicais livres. Estes atuam na quebra dos pigmentos, tornando-os mais claros.

No entanto, o clareamento não pode ser feito descontroladamente. Por isso, o profissional da odontologia deve se atentar ao ponto de saturação, o qual é o momento em que restam apenas substâncias incolores no dente. A partir deste momento, se continuar o tratamento, há um prejuízo de alguns compostos que contém carbono, como as proteínas.

Desta forma, é essencial que o dentista se atente ao ponto de saturação para não ultrapassá-lo, finalizando o clareamento antes deste ser atingido.

Tipos de clareamento dental

Existem diferentes protocolos utilizados para realizar o procedimento de clareamento dental. São eles:

  • Clareamento dental no consultório;
  • Clareamento dental caseiro;
  • Associação do método no consultório com o caseiro.

Clareamento dental no consultório

A técnica de clareamento dental no consultório consiste na aplicação de géis à base de peróxido de hidrogênio ou de carbamida. O profissional da odontologia, durante a consulta, aplica estas substâncias em altas concentrações no dente do paciente, mantendo por um tempo reduzido. 

Esta tem como vantagem o fato de não depender do paciente para realizá-lo. Além disso, o resultado pode ser observado logo após o procedimento. No entanto, este tem como desvantagem seu custo, já que é mais caro.

Clareamento dental caseiro

O clareamento caseiro consiste na prática do paciente realizá-lo em casa. Para isso, pode-se também utilizar peróxido de carbamida ou de hidrogênio. No entanto, ao contrário da aplicação no consultório, a concentração destes é mais baixa, mas devem ser utilizados por mais tempo. 

Este método apresenta como desvantagem a percepção do resultado no paciente apenas depois de alguns dias, que variam entre cinco a sete. Ainda, este precisa ser aplicado por duas semanas.

Associação do método no consultório com o caseiro

Alguns profissionais fazem a associação dos dois métodos para a obtenção do resultado desejado. Para isso, o dentista realiza uma parte do tratamento no consultório com concentrações mais altas de peróxidos. Enquanto o paciente realiza a outra parte em casa conforme as instruções recebidas.

Condições para o sucesso do clareamento dental

É importante destacar que nem todos procedimentos de clareamento dental ocorrem da mesma maneira. Isso acontece, pois diversos fatores cooperam para a obtenção do resultado. Entre eles se destacam a coloração inicial dos dentes e a concentração do material utilizado.

O método escolhido também interfere no resultado, dado que o clareamento caseiro surte efeito a longo prazo, enquanto o objetivo do clareamento no consultório é atingido imediatamente após sua realização. Ainda, é importante lembrar que cada organismo reage de um jeito, logo, a capacidade de resposta do paciente também influencia no sucesso do procedimento.

Por fim, é importante lembrar que o agente utilizado no clareamento não possui a capacidade de modificar a coloração das restaurações presentes no dente. Desta forma, estas podem aparentar mais escuras depois do tratamento.

Sensibilidade no dente após clareamento

Muitos pacientes relatam, após o clareamento dentário, uma maior sensibilidade nos dentes. Isso ocorre, pois os peróxidos utilizados podem se difundir pelo esmalte e dentina, atingindo a polpa dentária e causando uma infecção pulpar. Outrossim, quanto maior a concentração do peróxido, maiores as chances e a intensidade da sensibilidade. Desta forma, o dentista deve conhecer as melhores estratégias para combater este efeito adverso do clareamento dental. 

Uso de flúor gel neutro

O flúor, em contato com o dente, reage com o cálcio ali presente e forma cristais de fluoreto de cálcio. Esta substância atua na diminuição do diâmetro dos túbulos dentinários, dificultando a penetração dos peróxidos. A aplicação do flúor pode ocorrer antes ou depois do tratamento clareador.

Dentifrícios dessensibilizantes

Os dentifrícios que ajudam na redução da sensibilização são normalmente constituídos por 1450 ppm de flúor, arginina 8% e carbonato de cálcio. Os dois últimos, em conjunto, atuam na formação de uma substância capaz de envolver a polpa dentária e obliterar os túbulos dentinários.

Como protocolo, o cirurgião dentista pode recomendar o uso do dentifrício duas semanas antes do procedimento, ou ainda entre uma semana antes e uma semana depois da aplicação do peróxido.

Laser no clareamento dental

Estudos indicam que a aplicação de laser antes ou depois do clareamento são eficazes para a prevenção e tratamento da sensibilidade nos dentes. Isso acontece, pois estes diminuem a permeabilidade da dentina, ocluindo os túbulos dentinários.

O profissional da odontologia pode realizar este procedimento de duas maneiras diferentes. A primeira delas é logo após a aplicação do peróxido, reduzindo imediatamente a dor. Ainda, este pode ser utilizado também visando um efeito a longo prazo. Este pode ser observado pelo aumento do metabolismo do odontoblasto, capaz de eliminar o trânsito do fluido dentinário e promover a longa analgesia. 

Analgésicos e anti-inflamatórios

A recomendação de medicamentos pelo dentista procura o controle da dor pós-operatória. Os profissionais normalmente indicam o uso de ibuprofeno e etoricoxibe. No entanto, estes, diante de seu tempo de meia vida, permanece pouco tempo na corrente sanguínea. Desta forma, devem ser utilizados apenas para o alívio imediato da dor.

Gomas de mascar

Algumas gomas de mascar possuem, em sua composição, a adição do Recaldent, que age na fortificação dos dentes através do fornecimento de cálcio e fosfato, visando a remineralização do esmalte dentário. Além da adição desta substância, as gomas de mascar são capazes de gerar distração ao paciente para a dor. Além disso, aumentam o fluxo salivar da região, fazendo com que haja uma maior irrigação de proteínas e minerais na região, cooperando para a remineralização do dente.

Agentes dessensibilizantes

Os agentes dessensibilizantes incluem o fluoreto de sódio 2%, nitrato de potássio 5% e oxalato de potássio. Estes têm como função a diminuição da intensidade da sensibilidade através do vedamento dos túbulos dentinários e/ou pelo bloqueio do estímulo nervoso.

Esse método é, no entanto, questionado pelos profissionais da odontologia, já que inclui mais um procedimento para a realização do clareamento dental.

Cuidados após o clareamento

Caso o paciente não se atente à sua alimentação, pode haver coloração extrínseca dos dentes. Por este motivo, o dentista deve recomendar, nas primeiras 48 horas depois do clareamento, que o paciente evite o consumo de: 

  • Chás;
  • Café; 
  • Vinhos; 
  • Frutas escuras;
  • Alimentos ácidos;
  • Alimentos ou bebidas muito quentes;
  • Alimentos ou bebidas muito frias.

Para manter a estética, o paciente deve realizar o clareamento com certa regularidade, pois a tendência é que, depois de três ou quatro anos, os dentes retornem à sua coloração antes do tratamento.

Ainda, o profissional da odontologia deve recomendar também que o paciente diminua a força da escovação, além de evitar o uso de cremes dentais abrasivos.

Perigo do clareamento sem acompanhamento de um dentista

O clareamento dental, quando realizado pelo dentista, não apresenta significativos riscos ao paciente, além de se mostrar eficaz. No entanto, diante da pressão estética atual, muitos indivíduos buscam métodos alternativos para realizar o clareamento dental. Entre eles encontra-se o uso de fitas, pastas ou pós, que prometem o clareamento de uma maneira barata e sem necessidade de acompanhamento com o profissional da odontologia.

Estes métodos, por sua vez, podem não possuir a mesma eficácia e segurança dos métodos realizados com acompanhamento do dentista. Por este motivo, o Conselho Federal de Odontologia alerta quanto ao risco de realizar o procedimento sem supervisão profissional. Desta forma, é fundamental que os profissionais conscientizem seus pacientes a evitar o uso de produtos de clareamento dental caseiro sem receita.

Conduta do profissional da odontologia 

Desta forma, torna-se evidente que a conduta do cirurgião dentista consiste na decisão, junto com o paciente, quanto ao melhor método de aplicação dos peróxidos e quanto aos procedimentos a serem feitos para diminuir a sensibilidade. Ainda, este deve conscientizar os pacientes acerca das medidas a serem tomadas após o procedimento.

Por fim, dado que o clareamento dental deve ser realizado com periodicidade, o Codental pode auxiliar o profissional da odontologia ao enviar notificações aos pacientes quando for o momento de realizar o procedimento novamente.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.