Doenças odontológicas

Bruxismo infantil: tudo que você precisa saber!

bruxismo infantil

O bruxismo infantil, ou o ato de ranger os dentes na infância, é considerado um distúrbio comum, afetando cerca de 30% da população mundial. O problema é muito comum em crianças até os 6 anos, devido ao crescimento dos dentes e acomodação destes na gengiva.

Embora seja considerado um distúrbio inofensivo e temporário, pode gerar consequências significativas na saúde oral e geral das crianças, causando preocupações para os pais.

Neste artigo, trataremos as causas do bruxismo infantil, como identificar este distúrbio na infância, além de sintomas e tratamentos deste. Confira!

O que é bruxismo infantil?

O bruxismo infantil caracteriza-se pelo ato de ranger, cerrar ou apertar os dentes de forma inconsciente durante a infância. Dessa forma, o ato involuntário de ranger os dentes pode ocorrer durante o sono ou em situações de estresse.

No entanto, essa condição se fisiológica é recorrente entre crianças de 2 aos 4 anos, assim como na pré-adolescência, dos 10 aos 12 anos.

Quais as causas do bruxismo infantil?

Bruxismo na infância

Várias são as causas que levam ao desenvolvimento do bruxismo na infância. Durante o sono o problema está geralmente relacionado a ansiedade e alterações emocionais. Entretanto, existe uma constância nas condições alérgicas ou alterações respiratórias nas crianças diagnosticadas com essa condição.

Outros fatores também podem estar relacionados ao desenvolvimento do bruxismo na infância, dentre eles:    

  • Novas percepções da realidade;
  • Personalidade;
  • Genética;
  • Uso de medicamentos;
  • Modificações e adaptações de vida;
  • Transtorno obsessivo compulsivo;
  • Além de novas percepções sobre limites, autoconfiança e escolhas.

É bom destacar que crianças em qualquer faixa etária podem desenvolver bruxismo, podendo também estar relacionado com:

  • O desenvolvimento da dentição;
  • Hereditariedade;
  • Ansiedade;
  • Estresse;
  • Distúrbios do sono;
  • Problemas de oclusão e;
  • Doenças neuromusculares.

Assim, estudos sugerem que aproximadamente 15% a 40% das crianças experimentam bruxismo em algum momento desta fase da vida.

Sintomas do bruxismo infantil

O relato dos pais é de suma importância para identificação do problema, visto que identificar os sintomas do bruxismo na infância é fundamental para o diagnóstico diferencial deste quadro.

Os sintomas mais comuns relatados pelos pais são: reclamações de zumbidos no ouvido, dores de cabeça ou dores musculares no rosto, além de ruídos durante o sono.

Ainda, a presença de estalos mandibulares e desgastes de topo dos dentes, bem como da palatina, configuram como sintomas de bruxismo.

Ademais, queixas de sensibilidade dentária, dores de ouvido e percepção de irritabilidade na criança durante o dia, são sinais de alerta para o bruxismo infantil. Sendo assim, os pais desempenham papel fundamental na identificação de sintomas de bruxismo infantil.

A observação cuidadosa dos pais, bem como a avaliação do dentista pediátrico, podem facilitar a confirmação do diagnóstico precoce.

O dentista, então, realizará um exame clínico detalhado, avaliando o desgaste dental, os fatores emocionais relacionados, a oclusão e a saúde oral da criança.

Para que o melhor plano de tratamento seja elaborado pelo dentista, exames complementares de imagem, como a planigrafia e a tomografia, irão auxiliar o profissional nas confirmações clínicas relativas ao paciente.

Condições de saúde associadas ao bruxismo infantil

O bruxismo infantil pode estar associado a outras condições de saúde como desordens na Articulação Temporomandibular (ATM).

Outros problemas relacionados a distúrbios alimentares, desordens do sono, problemas psicossociais como ansiedade e estresse, também podem estar associados a condição.

Uma vez identificada a condição de saúde associada ao bruxismo infantil, o dentista deve solicitar aos pais a abordagem multidisciplinar do caso, concomitante ao tratamento desta desordem.

Portanto, a abordagem multidisciplinar é fundamental para que o tratamento do bruxismo tenha resultados satisfatórios e eficazes.

Alguns pais costumam buscar atendimento em consultórios odontológicos por associar o aumento da adenoide e amígdalas ao bruxismo. Porém, estas condições não têm relação direta com o bruxismo infantil, pois esta condição se refere a problemas de estresse, ansiedade e outras condições de saúde bucal.

Entretanto, a presença de adenoide e amígdalas aumentadas podem contribuir indiretamente para o bruxismo infantil, devido à obstrução das vias respiratórias superiores. Dessa forma, quando as amígdalas e adenoides estão aumentadas, estas causam dificuldades respiratórias durante o sono, como ronco e apneia, por exemplo.

Assim, esses distúrbios respiratórios podem levar à fragmentação do sono, levando ao sono inadequado que, por sua vez, acaba aumentando a probabilidade do desenvolvimento de bruxismo infantil.

Além disso, é importante salientar que nem todas as crianças com adenoides e amígdalas aumentadas, desenvolverão bruxismo infantil.

Sendo assim, o bruxismo é uma condição multifatorial, e, sua causa exata varia de criança para criança. Portanto, é essencial que o dentista avalie cada caso individualmente para determinar as possíveis causas e o tratamento adequado para cada situação.

Classificação do bruxismo infantil

O bruxismo infantil pode ser classificado de duas formas, sendo elas:

  • Primário: não possui uma causa evidente, psiquiátrica ou sistêmica;
  • Secundária: o bruxismo está associado a algum transtorno clínico, psiquiátrico ou neurológico, retirada de substâncias ou medicamentos, ou transtorno de sono.

Ademais, o bruxismo pode ser de sono ou diurno, envolvendo estados de consciência distintos, ou seja, sono e vigília. Sendo assim, o primário é uma atividade inconsciente, possui produção de sons e ocorre quando o indivíduo está dormindo. Já o segundo, é caracterizado por uma atividade semi voluntária da mandíbula, caracterizada por um hábito ou tique.

Tratamento para o bruxismo infantil

O tratamento para o bruxismo infantil é multifacetado, variando conforme a gravidade do caso. Sendo assim, entre as opções de tratamento, incluem-se: a orientação e aconselhamento aos pais acerca do gerenciamento de estresse e alterações comportamentais.

Além disso, a terapia cognitiva comportamental, o uso de dispositivos miorrelaxantes e dispositivos de contenção, são eficazes no tratamento desse distúrbio.

Desse modo, o tratamento contra o bruxismo infantil, deve evitar a sobrecarga e o desgaste dental, além das dores na articulação, mas, principalmente, necessita reestabelecer as funções das estruturas envolvidas.

Ademais, distúrbios como onicofagia, gagueira e problemas no sono em etapas de mudanças das crianças, devem ser investigadas a fim de auxiliar no tratamento adequado do bruxismo infantil.

Sobretudo, é importante salientar que o tratamento do bruxismo infantil deve ser adaptado às necessidades individuais de cada criança, sendo esta supervisionada de forma multidisciplinar.

Portanto, deve-se recomendar aos pais que realizem consultas preventivas junto de suas crianças a fim de monitorar a condição bucal e respiratória desta, identificando precocemente quaisquer problemas relacionados ao bruxismo infantil.

Dessa forma, um plano de tratamento personalizado pode ser desenvolvido visando abordar todas as questões de saúde da criança de maneira abrangente.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.