Doenças odontológicas

Boqueira: o que é, como tratar e prevenir

Boqueira

A queilite angular, também conhecida popularmente como boqueira, é uma ferida pequena nos cantos da boca que causam bastante incomodo. Esse artigo irá abordar tudo o que você precisa saber para prevenir ou tratar essa dermatose. 

O que é a boqueira?

Boqueira

Primeiramente é preciso entender o que é uma boqueira. Ela possui alguns sinônimos como: perléche, comissurite labial, queilite angular, sendo caracterizada como uma pequena rachadura ou ferida no canto da boca, que poder ser uni ou bilateral, e ter ou não contaminação de fungos ou bactérias. 

A boqueira é uma manifestação de um processo inflamatório que pode ter sido causado por diversos fatores que serão citados nesse artigo. A queilite angular é uma dermatose considerada comum, mas se não tiver o tratamento correto pode acabar se tornando crônica. 

Qual é a causa da boqueira? 

A queilite angular, na maioria das vezes, está relacionada a um ou mais fatores, sendo o principal deles, o excesso de saliva acumulada nos cantos da boca. Essa saliva traz uma umidade a pele por um tempo prolongado, que, consequentemente, provoca uma inflamação, favorecendo a proliferação de fungos. 

A boqueira, apesar de acometer mais a faixa etária dos idosos, também afetam crianças e adolescentes. Sendo assim, acompanhe as situações e hábitos que são consideradas de risco e podem ser identificados na anamnese pelo dentista:

  • Uso de prótese dentária: Os idosos são o grupo que possui maior número de casos de boqueira. Isso pode acontecer devido à maior flacidez facial, que acontece naturalmente com o envelhecimento. Essa flacidez altera a angulação da pele da boca, favorecendo o acúmulo de saliva no local e o aparecimento de feridas no canto da boca. 

Além disso, devido à perda dos dentes, situação que acomete muitos idosos, e, assim, a maioria utiliza prótese, que, se mal adaptadas, podem também causar a boqueira.

  • Uso de aparelhos odontológicos: Principalmente no início do tratamento com aparelhos odontológicos, pacientes relatam o aparecimento de aftas e lacerações na boca, como a boqueira. 
  • Lábios ressecados: Ficar com lábios ressecados, além de favorecer o aparecimento de feridas, faz com que o individuo crie o hábito de lamber os lábios. Isso fará com que ocorra acúmulo de saliva, favorecendo a boqueira.
  • Deficiência de vitaminas e mineiras: A falta de vitaminas do complexo B e ferro, por exemplo, abaixa a imunidade, deixando mais propenso o surgimento de feridas e proliferação de germes.
  • Drogas: A queilite angular pode ser um efeito colateral do uso de algumas drogas, por conta de mecanismos como a xerostomia induzida por elas.

Quais os sintomas da queilite angular? 

Boqueira sintomas

É muito importante que tanto o profissional, quanto o paciente, saiba os sintomas para começar o tratamento quanto antes. Os principais sintomas da boqueira são:

  • Vermelhidão na área
  • Dor ao abrir a boca
  • Sensação de ardor
  • Crosta no canto da boca
  • Pequenas rachaduras no canto da boca
  • Aumento da sensibilidade do canto da boca
  • Descamação nos cantos da boca
  • Sensibilidade ao comer alguns alimentos, como alimentos ricos em açúcar e ácidos.

Vale ressaltar, também, que as lesões da boqueira não costumam sangrar, e os sintomas podem persistir por diferentes períodos em cada paciente. 

Como tratar a boqueira? 

Tratamento para boqueira

Primeiramente, é muito importante para o sucesso do tratamento, identificar os principais fatores causadores, para assim, conseguir curar a boqueira. Dessa forma, cada fator de risco pode ter um tratamento mais eficaz, são exemplos: 

  • Uso de pomadas e cremes

A composição do creme vai depender da presença de fungos e bactérias. Em caso de fungos, pomadas com nistatina, miconazol ou clotrimazol são alguns exemplos. Em caso da presença de bactérias, a mupirocina é uma pomada muito utilizada. 

Entretanto, se após investigado constatar não haver presença de fungos, deverão ser utilizadas pomadas para hidratar a área, como manteiga de cacau, e com ação anti-flamatória, como: cremes a base de Óxido de Zinco, vaselina ou Omcilon-A Orabase.

Os tratamentos costumam durar de 1 a 3 semanas.

  • Enxaguantes bucais 

Devido à presença de digluconato de clorexidina na composição de alguns enxaguantes bucais, sua ação antisséptica ajuda, principalmente, a reduzir a quantidade de bactérias nocivas, favorecendo, consequentemente, a cicatrização das feridas e o desaparecimento da boqueira. Entretanto, é muito importante que o profissional oriente seu paciente em relação ao melhor produto, devido à diferença dos compostos no mercado. 

  • Alimentos cicatrizantes

Cuidar dos alimentos ingeridos durante esse período também pode ajudar bastante na cicatrização da ferida e no tratamento da queilite angular. 

  • Suplementação

Além da importância da alimentação saudável, em caso de deficiência nutricional, pode ser necessário a suplementação para tratar a boqueira. Portanto, as principais vitaminas são B12, ferro ou ácido fólico. 

  • Ajuste da prótese ou aparelho dentário

Como uma das causas das feridas de canto da boca pode ser próteses ou uso de aparelhos ortodônticos, o dentista deve analisar, nas consultas, se eles estão corretamente adaptadas a arcada dentária do paciente e, caso necessário, realizar os ajustes, podendo resolver e prevenir os sintomas apenas com essa ação. 

O que piora a boqueira?

Da mesma maneira que alguns alimentos ajudam na cicatrização da boqueira, outros irão piorar e devem ser evitados. Isso acontece, pois o aumento do nível de acidez do sangue devido aos alimentos ácidos, debilitam o sistema imune, aumentando as chances do surgimento de doenças e crescimento de fungos e bactérias.

Sendo assim, alimentos como ameixas, mariscos, bebidas como refrigerantes, sucos industrializados, vinhos, ketchup, mostarda, vinagre, carne processada como linguiça, salsicha, e os demais, devem ser evitados durante o período de tratamento da boqueira.

Aliado a isso, o paciente passar a língua e saliva nas feridas, também piorará a boqueira e aumentará o tempo de cicatrização. Logo, orientá-lo acerca disso é imprescindível.

Boqueira é contagiosa?

Por conta da ferida ter chances de conter fungos e bactérias há sim um risco de contágio. Portanto, o individuo que estiver com a queilite angular não deve compartilhar copos, toalhas, talheres, etc. Logo, também não pode beijar ninguém para não contaminar outra pessoa. 

Quais os tipos de queilite angular?

Queilite angular

A primeira classificação da boqueira está relacionada com a sua recorrência. Dessa forma, se as feridas no canto da boca ocorrerem repentinamente e com sintomas mais fortes, estamos nos referindo de um quadro agudo. Entretanto, caso a ferida no canto dos lábios apareça e desapareça várias vezes pela vida, causando fissuras dolorosas, se trata de uma condição crônica.

A boqueira ainda é classificada em três tipos, dependendo de suas causas. Dessa forma, as lesões no canto da boca podem ser:

De contato: sendo uma forma de alergia de contato.

Microbiana: ocorre devido à presença de microorganismos presentes no canto da boca.

Solar: aparece em indivíduos muito sensíveis ao sol, surgindo geralmente desde a infância. Além disso, mudanças extremas de temperaturas também causam o problema.

Existem alguns tipos de feridas confundidas com a boqueira e é importante saber diferenciar para efetuar o correto diagnóstico. Dito isso, estas se diferenciam como:

  • Feridas com bolhas: As bolhas formadas por um líquido transparente são característica da Herpes labial. Esta também é uma doença infecciosa, porém, diferentemente da boqueira, é provocada por um vírus.
  • Ferida branca: Esse tipo de ferida é sinal de candidíase oral. Esta, pode estar acompanhada de placas esbranquiçadas e aftas na língua, com origem fúngica, características diferentes da queilite angular. 

Como prevenir as feridas no canto da boca 

Feridas no canto da boca

Mais importante que saber como diagnosticar e curar a boqueira, é passar as medidas de prevenção para o seu paciente. É de extrema relevância que os profissionais sempre orientem seus pacientes acerca do tema. Dessa forma, algumas dicas são: 

  • Não lubrificar a boca com saliva
  • Utilizar hidratantes labiais com protetor solar
  • Dormir bem
  • Alimentar-se de maneira saudável
  • Manter-se hidratado
  • Não compartilhar produtos e materiais que irão na boca com outras pessoas
  • Não mexer na boca ou tirar pele com o dente

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.