Doenças odontológicas

Bolinha na gengiva: como diagnosticar e tratar

Bolinha na gengiva

É relativamente comum que pacientes apareçam no consultório odontológico se queixando da presença de bolinha na gengiva. Contudo, alguns sequer relatam o sintoma e não realizam a consulta odontológica.

A bolinha na gengiva, também chamada de bolha na gengiva, é um sintoma que surge e pode ter origem multifatorial. Esta tem a característica de um caroço que pode se assemelhar a uma espinha. Por este motivo, é fundamental que o profissional da odontologia saiba identificá-lo e tratá-lo.

Bolinha na gengiva com pus

Quando o paciente relata a presença de bolinha na gengiva, esta pode estar relacionada a uma infecção. Nestes casos, há, com a bolha, a presença de pus, a qual é a secreção eliminada pelo sistema imunológico que contém restos de células, microorganismos e neutrófilos.

Bolinha na gengiva perto do dente

Quando a bolinha se apresenta nas proximidades do dente, pode ser um indicativo de infecções relacionadas ao dente, como cáries, doença periodontal e fraturas.

Causas da bolinha na gengiva

As causas das bolinhas na gengiva podem ser diversas. Por este motivo, durante a consulta com o paciente, o profissional deve conduzir corretamente a anamnese de modo a compreender as possíveis origens do problema.

Cárie

A falta de higiene bucal pode levar ao acúmulo de tártaro e/ou o desenvolvimento de cáries. Quando estas se encontram em um estágio avançado, há a contaminação da polpa dentária. A partir desse momento, o paciente se torna suscetível a infecções. Esses processos infecciosos podem levar à formação de bolhas com pus, gerando o sintoma. Por este motivo, o dentista deve fazer um exame clínico para detectar possíveis cáries.

Fratura ou rachadura do dente

O abscesso dentário surge diante de uma fratura ou rachadura no dente, que pode ocorrer como consequência de colisões, quedas, acidentes, bruxismo ou até mesmo durante a mastigação de alimentos duros. Nesses casos, se a lesão expor a polpa dentária, coloca-a em risco de infecções. Estas infecções, por sua vez, podem gerar a bolinha na gengiva.

Dito isso, é fundamental que o profissional da odontologia questione o paciente, durante a anamnese, acerca de possíveis lesões que este tenha tido e que possa ter afetado a saúde dos dentes.

Doenças periodontais

Conforme o Ministério da Saúde, a doença periodontal é a inflamação dos tecidos que suportam os dentes. Esta ocorre como consequência do acúmulo a longo prazo de biofilme dental abaixo da gengiva. Em casos mais leves, é caracterizada clinicamente pela inflamação da gengiva, podendo resultar em sangramento, sendo chamada de gengivite. No entanto, nos casos mais graves, pode haver lesão irreversível do tecido e a consequente perda do dente; nestes casos, a doença é chamada de periodontite.

Logo, em caso de suspeita, para evitar o agravamento, o cirurgião dentista deve realizar os exames para se certificar da presença de doenças periodontais.

Mucocele

Ao contrário das causas já citadas, a mucocele não possui origem infecciosa. Também conhecida como cisto mucoso, esta é uma lesão gerada em consequência de anormalidades do ducto de glândula salivares, como sua ruptura ou a presença de cálculos. Deste modo, o líquido salivar pode se acumular em diversas regiões da cavidade oral, como a língua, interior das bochechas e até mesmo os lábios. Elas surgem mediante lesões como pancadas ou mordidas nos lábios. Estas lesões estão dificilmente associadas a sintomas de dor. No entanto, o profissional da odontologia deve realizar a anamnese corretamente para identificar a possível causa.

Fístulas odontogênicas

Vale ressaltar que em alguns casos de infecção, o organismo drena a inflamação para outros locais. Nestes casos, o sintoma da lesão pode surgir em diferentes regiões, como no pescoço ou na região orofacial. Por este motivo, dentista deve realizar os exames para identificar a origem da fístula.

Pênfigo vulgar

O dentista, ao lidar com um paciente com bolinhas na boca, dificilmente se atenta para a possibilidade de sua origem ser pênfigo vulgar. Isso ocorre porque esta é uma doença autoimune rara e muito grave para a saúde do paciente. Por isso, caso as outras suspeitas sejam descartadas, o dentista deve investigar esta possibilidade.

Sintomas relatados simultaneamente

Quando o paciente aparece no consultório se queixando da presença de bolinhas na gengiva, é comum que este esteja relacionado a outros sintomas. Contudo, dado que a presença das bolhas é multifatorial, estes sintomas podem ou não aparecer no relato dos pacientes. São eles:

  • Formação de pus como consequência da infecção;
  • Sensação de gosto ruim na boca devido ao extravasamento do pus;
  • Mau hálito;
  • Inchaço;
  • Dor;
  • Desconforto durante o processo de mastigação.

Diagnóstico

Primeiramente é fundamental ressaltar que devido à diversidade de causas e sintomas simultâneos ao aparecimento de bolinhas na gengiva, é fundamental que o profissional da odontologia realize o correto diagnóstico para iniciar o tratamento da condição. 

Em alguns casos, apenas a anamnese com exames clínicos é suficiente para identificar a causa da formação. Contudo, em outros casos, o dentista pode solicitar exames de radiografia que confirmem sua suspeita.

Tratamento da bolinha na gengiva

Mesmo que a presença de bolhas na gengiva não signifique necessariamente a presença de condições graves, o cirurgião dentista deve realizar o tratamento para aliviar os sintomas do paciente. O tratamento das bolinhas na gengiva consiste na identificação da causa e tratamento desta. Apenas assim é possível eliminar o sintoma rapidamente para que este não piore. 

Nos casos de acúmulo de tártaro, deve ser realizada uma limpeza para eliminação destes. Ainda, se houver a presença de cáries, o profissional da odontologia deve retirá-las e, se necessário, realizar o tratamento de canal. Além disso, o dentista pode realizar este procedimento também em casos de fístula odontogênica, podendo acompanhar o procedimento com a prescrição de antibióticos. Já para os casos de fraturas ou rachaduras no dente, o profissional da odontologia deve realizar a restauração deste com resina.

Caso o dentista diagnostique doença periodontal, deve iniciar o tratamento rapidamente para evitar o agravamento. Esse consiste na raspagem e alisamento radicular, evitando o acúmulo de resíduos.

O profissional da odontologia pode precisar intervir cirurgicamente nos casos de mucocele. Esse procedimento deve ser feito para retirar a mucocele e as glândulas salivares, resolvendo o problema. Por fim, se a origem da bolinha na gengiva for um pênfigo vulgar, o tratamento a ser realizado consiste na prescrição de corticoides sistêmicos.

Conduta do profissional da odontologia em casos de bolinha na gengiva

Diante da complexidade de causas envolvidas no aparecimento de bolinhas na gengiva, o profissional da odontologia deve realizar a correta anamnese do paciente de modo a identificar a origem do problema, podendo solicitar exames radiológicos. A partir daí, deve iniciar o tratamento para evitar um agravamento da questão.

Por fim, o dentista deve sempre incentivar uma boa higiene bucal dos pacientes, recomendando a escovação e aplicação de fio dental. Isso pode ser feito a fim de evitar possíveis infecções, ao manter a saúde bucal íntegra. Ainda, pode-se fazer necessário, a cada seis meses, a realização de consultas odontológicas para realizar uma limpeza nos dentes. 

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.