Tratamentos odontológicos

Aparelhos autoligados: tudo que você precisa saber

aparelho autoligado

Os aparelhos autoligados não são novidade em Ortodontia, pois existem desde a década de 30, mas recentemente sua popularidade aumentou. Portanto, neste texto vamos descrever tudo que você precisa saber a respeito dos aparelhos autoligados.

Sendo assim, vamos analisar as vantagens e quais as diferenças fundamentais da biomecânica dos aparelhos com braquetes autoligáveis e os aparelhos com braquetes convencionais.

O que é aparelho autoligado?

Os aparelhos autoligados desenvolveram-se a partir da necessidade da diminuição do atrito entre o braquete e o fio ortodôntico, e a redução do tempo do tratamento.

Em vista disso, existem outras vantagens que surgem a partir do seu aprimoramento.

Os braquetes autoligáveis dispensam a necessidade do uso de ligaduras elásticas ou metálicas para manter o fio preso no interior da canaleta.

Sendo assim, este tipo de aparelho tem uma cobertura, como um clipe metálico com abertura ou fechamento que permite a introdução do fio na canaleta.

Atrito na biomecânica

Portanto, uma das maiores vantagens observadas com a instalação do aparelho autoligado é a utilização da força de atrito.

Em suma, a força de atrito é um dos maiores problemas para o controle de forças e movimentação para o ortodontista, pois quanto maior o atrito menor a efetividade da mecânica, o que reduz a velocidade de movimentação dentária e dificulta o controle da ancoragem.

Sendo assim, estudos afirmam que níveis muito baixos de atritos com os aparelhos autoligáveis têm sido claramente demonstrados e quantificados.

Por meio disto, há uma grande concordância sobre o fato de os autoligáveis produzirem menor atrito durante a movimentação ortodôntica, quando comparados com os braquetes convencionais.

Classificação dos aparelhos autoligados

Portanto, segundo classificação tradicional dos braquetes autoligados estes dividem-se em três tipos. Esta classificação é feita conforme o grau de pressão do sistema aplicado ao fio.

Sendo assim, eles podem ser ativos, quando o sistema pressiona o fio dentro da canaleta.

Classificados como passivos, quando o sistema permite liberdade do fio na canaleta. E interativos, quando os braquetes autoligados exercem pressão em fios mais espessos, mas permitem liberdade de fios menos calibrosos.

Portanto, o sistema de braquetes ativo possui o atrito muito maior do que quando se utiliza o sistema de braquetes passivos.

Relação do fio na canaleta no aparelho autoligado

Sendo assim, nos braquetes ativos, o fechamento se dá por um clipe que invade uma parte da canaleta e uma das paredes.

Quanto aos braquetes passivos, a canaleta do braquete é fechada por meio de uma trava que desliza na superfície externa das aletas, transformando todos os braquetes em tubos e criando paredes nas canaletas, rígidas e passivas.

Por meio disso, o atrito nos braquetes passivos é realmente menor, pois o clipe que prende o fio no braquete não tem um contato tão grande com o fio quanto ocorre nos ativos.

Indicações dos aparelhos autoligados

Em suma, indica-se os braquetes autoligados para todos os casos de má oclusão, principalmente naqueles de apinhamento severo que necessitam de exodontia de pré-molares e retração inicial de caninos.

Nesses casos, o baixo atrito permite a distalidade rápida do canino sem que ocorra o movimento vestibular de incisivos.

Porém, estudos apontam os aparelhos autoligáveis sendo mais indicados nos casos de apinhamento tratados sem extração dentária, pois, nesses casos, o baixo atrito vai promover a resolução do apinhamento com tempo menor de tratamento.

Desconforto após as manutenções

Com relação a este ponto, observa-se uma redução da força exigida para movimentação dos dentes com o aparelho autoligado. Este fato é observado quando comparado aos demais sistema de fixação, com diferentes calibres de arcos.

Sendo assim, o paciente sentirá menor desconforto e dor após cada troca de arco.

Tratamento mais rápido

Com relação ao tempo de tratamento, o uso dos aparelhos autoligados tem tempo reduzido, apresentam maior agilidade para a colocação e a remoção do fio por arcada.

Redução do número de consultas

Outro fator observado é a diminuição do número de consultas durante o tratamento, pois os braquetes autoligáveis garantem um completo e seguro encaixe do arco na canaleta. Além disso, associados ao uso de arcos de alta tecnologia.

Este fator é vantajoso tanto para o paciente e quanto para o profissional. O paciente não precisará se deslocar tantas vezes ao consultório para as manutenções. Já o profissional, terá mais tempo disponível para o encaixe de outros pacientes.

Menor acumulo de comida

É válido citar esta vantagem do aparelho autoligado visto que o acúmulo de comida aumenta o acúmulo de placa bacteriana, portanto dificulta a higienização, além de causar desconforto ao paciente.

Sendo assim, esta é uma vantagem muito relevante juntamente ao fato de o braquete ser menor e não se utilizar as borrachinhas facilitam a higienização.

Menor uso de ancoragem

Estudos demonstram que os aparelhos autoligados passivos utilizam menos ancoragem que os aparelhos convencionais.

Estética

Com relação à estética os aparelhos autoligado apresentam braquetes menores e como citado anteriormente não utilizam borrachinhas tornando o aparelho mais discreto.

Além disso, é possível utilizar braquetes transparente ou da cor do dente aumentando ainda mais a estética.

Vantagens que atraem

Sendo assim, atualmente os aparelhos autoligados tem atraído a atenção dos ortodontistas, tornando-se mais populares no mercado ortodôntico, pela evolução dos materiais.

Portanto, apresentam diversas características positivas como:

  • O modo de ligação mais rápida
  • baixo atrito
  • menor intensidade de dor
  • tratamento mais rápido
  • menor número de consultas
  • menor acúmulo de placa bacteriana
  • tratamento sem extrações
  • maior eficiência nas mecânicas de alinhamento, nivelamento e deslizamento.

Custo benefício

Portanto, muitos estudos tem sido realizados para justificar o uso dos aparelhos autoligados em lugar dos convencionais. Porém, o custo desse tipo de aparelho ainda é mais alto, o que muitas vezes reduz o seu uso clínico.

Sendo assim, apesar deste aparelho apresentar vantagens, não há evidências científicas suficientes de que os braquetes autoligados são suficientemente superiores aos braquetes convencionais justificando o seu alto custo.

Conclusão

Os aparelhos autoligados foram inicialmente desenvolvidos a partir da necessidade da diminuição do atrito entre o braquete e o fio ortodôntico e a redução do tempo do tratamento.

Atualmente, muitas vantagens são observadas, porém, o alto custo ainda torna o uso dos aparelhos convencionais mais frequente.

Além disso, é importante ter conhecimento científico sobre as características e a eficiência desses dispositivos para decidir a melhor opção para ser utilizada no consultório.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.