Odontologia

Anamnese odontológica: 6 principais pontos

anamnese dentista

A anamnese que o dentista utiliza no consultório é uma ferramenta muito importante, representa o primeiro contato do paciente com o profissional, logo, deve ser feita com atenção e corretamente.

Eventualmente, alguns dentistas, principalmente recém-formados, ainda possuem dúvidas sobre o que é, como fazer e quais as vantagens da anamnese, por isso, este artigo busca sanar todas as perguntas sobre este tema.

Anamnese odontológica: o que é?

A anamnese é uma etapa, não somente no atendimento odontológico, mas em todas as áreas da saúde, considerada indispensável.

Ela é o primeiro contato que o paciente terá com o profissional, o ponto de partida, e tem como maior objetivo evitar uma emergência médica enquanto o atendimento odontológico acontece. Sendo assim, a anamnese é uma sequência de perguntas direcionadas ao paciente, que buscam, principalmente, identificar as alterações de saúde do indivíduo que podem descompensar durante a realização de procedimentos.

Como fazer uma anamnese odontológica?

Entendendo o principal objetivo da anamnese, fica mais claro entender como fazer uma anamnese correta e de qualidade. Nesse ponto de vista existem 6 principais pontos que devem estar presentes no questionário, sendo:

1. Patologia de base:

Ou seja, qual a principal doença que aquele paciente apresenta e que pode ser responsável por causar todas as alterações sistêmicas. Como exemplos de patologia de base tem-se: hipertensão, HIV, Diabete Mellitus. 

Não somente sobre o tratamento, conhecer as patologias de base permite também educar o paciente sobre a relação entre sua saúde bucal e suas condições médicas gerais. Isso pode motivar o paciente a adotar medidas preventivas e manter um autocuidado adequado. Esse cuidado preventivo inicial, pode também deixar o paciente mais confiante em relação ao trabalho do profissional.

2. Comorbidades:

O conhecimento das comorbidades permite ao dentista planejar o tratamento, considerando os desafios específicos que possam surgir devido às condições médicas subjacentes do paciente.

Ademais, algumas comorbidades estão associadas a maior risco de doenças periodontais e outros problemas bucais. Dessa forma, conhecer essas condições permite ao dentista implementar estratégias de prevenção e educação específicas.

3. Histórico médico:

Dentro do histórico médico estão histórico de cirurgias e internações e possíveis contraindicações. Essas perguntas auxiliarão um melhor atendimento multidisciplinar, que deve sempre acontecer, aumentando a eficácia do atendimento. 

Ao mesmo tempo, algumas condições médicas podem ser contraindicações para determinados procedimentos odontológicos. Por exemplo, certas condições cardíacas podem exigir precauções especiais durante a cirurgia odontológica. Logo, o conhecimento de possíveis doenças no histórico do paciente se torna imprescindível para a segurança do tratamento

4. Histórico odontológico:

Além do histórico médico geral do paciente, é de muita importância entender o histórico odontológico do paciente, possíveis patologias relacionadas a saúde bucal, cuidados do paciente e hábitos.

A partir do histórico o profissional pode conseguir também detectar algumas causas de alterações bucais do paciente. 

5. Medicações:

A informação sobre os medicamentos que o paciente está utilizando também é um passo importante na anamnese odontológica. Essa importância se relaciona com o fato de existirem medicamentos que se interagem entre si, podendo causar efeitos colaterais durante ou após os procedimentos. 

Além disso, alguns medicamentos, como antidepressivos, podem aumentar a sensibilidade a dor, e outros podem interferir na resposta à anestesia local. Por isso, essa informação deve estar nas mãos do profissional. 

6. Alergias:

Saber se o paciente possui alguma alergia é indispensável nesse primeiro contato, uma vez que evita reações adversas a possíveis medicamentos que o profissional poderia utilizar ou receitar. 

Além disso, pacientes também podem ter reações alérgicas desencadeadas por materiais, como resinas, agentes de moldagem ou metais. Logo, conhecendo-as, permite que o dentista escolha os materiais adequados para o atendimento daquele paciente.

Como deixar o paciente confortável para responder à anamnese odontológica?

Além de ter as perguntas certas na anamnese, é indispensável que o paciente se sinta seguro e a vontade para responder tudo com calma e corretamente. Nesse ponto de vista, existem formas de auxiliar a comunicação com o paciente, como:

  • Use uma linguagem compreensível: evite muitos termos técnicos e complexos: manter uma linguagem clara permitirá maior compreensão sobre o que o profissional deseja, facilitando a interpretação do paciente e permitindo que responda sem maiores dúvidas.
  • Explique ao paciente a importância dessa etapa para o atendimento: entendendo o quão importante é a anamnese, faz com que o paciente se atente mais as perguntas e responda com mais precisão.
  • Esteja atento a possíveis sinais de desconforto: em qualquer sinal que o paciente se mostrar desconfortável em responder alguma pergunta, detecte e mostre empatia ao sentimento do paciente.
  • Reconheça que cada paciente tem sua individualidade, evite julgamentos: muitas vezes o paciente pode relatar informações e, em caso de se sentir julgado, diminuirá a confiança ao profissional, fazendo com que o tratamento seja abandonado.
  • Garanta privacidade, mostre que o paciente está em um ambiente seguro: alguns pacientes podem se sentir desconfortáveis em responder perguntas em ambientes com mais pessoas, por isso, pergunte e deixe o paciente no ambiente mais confortável possível. 
  • Escute o paciente de forma ativa: evite fazer diversas perguntas diretas, com respostas de sim ou não, deixando a anamnese robotizada. Pergunte e escute o que o paciente tem a dizer.  Esse diálogo deixará o paciente mais a vontade e possivelmente irá fornecer mais informações.

Anamnese dentista e software odontológico:

Ter um software odontológico, sem dúvidas, auxiliará a execução de uma anamnese. Por isso, o Codental disponibiliza modelos, possibilitando o acesso a perguntas, mas também permitindo a criação de um modelo livre e individualizado da clínica. 

Além disso, o armazenamento dessas informações no software fica mais seguro do que da maneira tradicional, salvando-as na nuvem e garantindo a segurança de não perdê-las. 

Ademais, com um software odontológico o profissional consegue não somente acessar as informações da anamnese a qualquer momento de maneira fácil, mas também adicionar informações das novas consultas, imagens, e manter todo o histórico odontológico do paciente. 

Anamnese dentista: PDF 

Apesar de a utilização de softwares para anamnese ser uma forma mais prática e eficaz, muitos profissionais gostam de utilizar a forma tradicional, no papel. 

Sendo assim, o Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Sul disponibiliza alguns modelos de anamnese para imprimir. Quem não desejar imprimir, pode utilizar de parâmetro para fazer um modelo mais individualizado.

Ainda está em dúvida?

Faça o teste gratuito agora por 7 dias.